Tempo
|
A+ / A-

Elon Musk acaba com teletrabalho. Ou trabalha no escritório ou deixa a empresa

01 jun, 2022 - 15:51 • Marta Grosso

O CEO da Tesla decidiu acabar com o teletrabalho e não deixa margem para dúvidas num email enviado aos trabalhadores e que foi libertado para as redes sociais.

A+ / A-

A equipa de trabalhadores de escritório da Tesla recebeu um email de Elon Musk em que o CEO declara: “Trabalho remoto deixa de ser aceitável”.

O multimilionário quer toda a gente no escritório a trabalhar, “no mínimo”, 40 horas semanais. “É menos do que pedimos aos trabalhadores da fábrica”, acrescenta. A alternativa é “sair da Tesla”.

O email foi partilhado nas redes sociais pelo acionista Sam Nissim.


Musk admite exceções, mas terão de ser analisadas por si próprio.

O multimilionário já se tinha mostrado avesso ao teletrabalho numa entrevista ao “The Financial Times”, em maio. No seu entender, a opção pelo trabalho remoto era uma tentativa dos norte-americanos para não irem trabalhar.

No Twitter, também no mês passado, escreveu: “Ficar em casa por causa da Covid levou as pessoas a pensar que não precisam realmente de trabalhar no duro”.

Elon Musk contesta os confinamentos obrigatórios e desafiou as normas, em maio de 2020, quando pediu aos trabalhadores da fábrica que voltassem ao trabalho.

Por outro lado, os defensores do teletrabalho argumentam que trabalhar a partir de casa pode melhorar a qualidade de vida. Mas também há aqueles que acreditam que pode promover a desigualdade social, criando uma força de trabalho de duas classes, em que uns desfrutam de todas as vantagens que a flexibilidade tem a oferecer e outros, chamados “de colarinho azul”, não têm qualquer flexibilidade.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+