Tempo
|
A+ / A-

Guerra na Ucrânia

Sanções à Rússia. Von der Leyen com fracas expectativas sobre sexto pacote

30 mai, 2022 - 16:45 • Marta Grosso com redação

Em cima da mesa está proibir a chegada de petróleo russo à Europa por via marítima, mas com exceções. “A solução possível”, diz Paulo Sande, especialista em assuntos europeus.

A+ / A-

A presidente da Comissão Europeia baixa as expectativas quanto ao sexto pacote de sanções à Rússia, que começou a ser discutido nesta segunda-feira no Conselho Europeu Extraordinário, em Bruxelas.

Ursula Von der Leyen mostra-se cética em relação a um acordo sobre sanções sobre o petróleo russo.

“Nunca é fácil e com este sexto pacote também não será. A Comissão e a presidência francesa têm trabalhado intensamente nos últimos dias para avançarmos com este pacote. Ainda não estamos lá. Tem certamente amadurecido, mas as minhas expectativas são baixas quanto a resolver-se nas próximas 48h. Mas estou confiante de que depois haverá uma possibilidade”, afirmou aos jornalistas, à entrada para o Conselho Europeu.

Em cima da mesa está uma proposta que passa por proibir, até ao final do ano, o petróleo russo que chegue à Europa por via marítima, mas que permite que países mais dependentes – como Hungria, República Checa e Eslováquia – continuem a receber petróleo por via terrestre, através do oleoduto russo de Drázebá.

É a solução possível”, diz Paulo Sande, especialista em assuntos europeus. “Pelo menos, houve uma evolução hoje de manhã na reunião dos representantes dos vários Estados-membros, que vai ao Conselho Europeu, o que parecia já excluído há dois ou três dias. Não é a solução ideal, não será uma solução airosa; é a solução possível”.

Na Alemanha, onde nesta segunda-feira visitou a feita industrial de Hannover ao lado do chanceler Olaf Schoz, o primeiro-ministro português considera que a União Europeia tem vontade de encontrar um ponto de entendimento e defendeu que Portugal pode ser a entrada do gás para a Europa e o porto de Sines a infraestrutura ideal.

“A Europa vai necessitar, crescentemente, de mais energia e, portanto, todo este investimento é absolutamente indispensável. Já tivesse sido ele feito na altura própria, já hoje a Europa estaria a beneficiar dessa nossa capacidade de fornecer energia”, afirmou.

“A Comissão Europeia finalmente reconheceu novamente a prioridade desta interconexão da Península Ibérica com a Europa, a França está neste momento mais disponível para levantar as restrições que tinha levantado do ponto de vista ambiental para estabelecer a interconexão e, sobretudo tendo em conta que esta infraestrutura, hoje pode servir para o gás natural, mas servirá amanhã para o hidrogénio verde, por isso, é uma mais-valia ambiental importante”, acrescentou António Costa.

Portugal está representado com 109 empresas na Feira de Hannover.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Uns
    30 mai, 2022 E os outros 20:43
    As brechas começam a aparecer e o Putin a sorrir cada vez mais. Por isso a Europa não é considerada quando há opiniões a dar

Destaques V+