Tempo
|
A+ / A-

OE2022

Trabalho. Governo aberto a estudo-piloto sobre semana de quatro dias

13 mai, 2022 - 15:59 • Ana Carrilho , Marta Grosso

A ideia foi bem recebida pelo secretário de Estado do Trabalho, na sequência de uma questão do deputado do Livre numa audição parlamentar.

A+ / A-

O secretário de Estado do Trabalho, Miguel Fontes, admite que o Governo está disponível para ponderar novas formas de organização do trabalho, nomeadamente, a semana de quatro dias, e vê com bons olhos a realização de um estudo-piloto.

“A disponibilidade do Governo para pensar novas formas de organização do trabalho, nomeadamente a questão da semana dos quatro dias, existe, sabendo que temos de responder a uma pluralidade de situações que não se esgotam apenas e só num determinado perfil dessa mesma organização”, afirmou, em resposta a Rui Tavares, do Livre, que propôs um estudo-piloto sobre a matéria.

“A ideia de podermos promover um estudo-piloto, de podermos ancorar as respostas futuras em dados mais concretos é o que o Governo quer fazer, de uma forma sustentada e não voluntarista”, adiantou o secretário de Estado.

Miguel Fontes participou, nesta sexta-feira, na audição parlamentar da equipa do Ministério do Trabalho e da Segurança Social no âmbito do Orçamento do Estado para 2022.

Na mesma audição esteve o secretário de Estado da Segurança Social, que, a propósito de sustentabilidade financeira do setor, reafirmou a ideia já anunciada pela ministra Ana Mendes Godinho de se constituir uma comissão para analisar a diversificação das fontes de financiamento e de forma mais abrangente, refletir sobre o modelo de financiamento da Segurança Social.

O objetivo é ter um relatório pronto até ao fim do primeiro trimestre do próximo ano, para depois trabalhar com os parceiros sociais e partidos, antes de apresentar uma proposta legislativa, afirmou Gabriel Bastos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+