Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Energia. Governo destina 150 milhões para baixar tarifa de acesso às redes

04 mar, 2022 - 20:53 • Lusa

A tarifa de acesso às redes é paga por todos os consumidores, independentemente de estarem no mercado regulado ou no mercado liberalizado.

A+ / A-

O Governo decidiu esta sexta-feira atribuir 150 milhões de euros da receita do Fundo Ambiental ao sistema elétrico nacional para baixar a tarifa de acesso às redes.

"Porque o Fundo Ambiental, que vive essencialmente das receitas dos leilões de carbono e está a ter receitas acima do orçamentado, os 150 milhões de euros dessa receita extra vão ser colocados no sistema elétrico nacional para fazer baixar a tarifa de acesso às redes", anunciou o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Matos Fernandes, em conferência de imprensa, em Lisboa.

O governante lembrou que a tarifa de acesso às redes, por vezes, é responsável por cerca de 50% da eletricidade paga.

A tarifa de acesso às redes é paga por todos os consumidores, independentemente de estarem no mercado regulado ou no mercado liberalizado e reflete o custo das infraestruturas e dos serviços utilizados por todos os consumidores de forma partilhada.

Esta tarifa deverá ser revista no final do primeiro trimestre pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

"Só a ERSE saberá fazer a conta, porque são muitos fatores a ter em conta, mas vamos conseguir atenuar com muito significado no que poderia ser o preço da eletricidade", reiterou o governante, garantindo que, a acontecer, o aumento "será marginal".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+