Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Ryanair. Mais de 150 postos de trabalho em risco em Lisboa

17 fev, 2022 - 18:32 • Lusa

Numa carta enviada ao primeiro-ministro, o presidente da companhia de aviação defende que a concorrente TAP tem que libertar "slots" no aeroporto da capital portuguesa.

A+ / A-

O presidente executivo da Ryanair, disse, numa carta enviada ao primeiro-ministro, que estão em risco mais de 150 postos de trabalho, se a TAP não libertar "slots" em Lisboa este verão, levando a companhia irlandesa a deslocar três aviões.

"Escrevo-lhe para pedir-lhe pessoalmente que exija à TAP que liberte os 18 "slots" diários [imposição da Comissão Europeia para aprovação do plano de reestruturação] - que a TAP não consegue nem vai usar no verão de 2022 - para que a Ryanair possa continuar a manter a frota de sete aviões em Lisboa, este verão, evitando o encerramento de 22 rotas e a perda de mais de 150 postos de trabalho para pilotos e tripulantes de cabine", lê-se na carta enviada por Michael O"Leary ao primeiro-ministro, António Costa, a que a Lusa teve acesso.

O presidente executivo da Ryanair afirmou ainda que, se o primeiro-ministro apoiar este pedido, a companhia irlandesa não deslocará três dos seus sete aviões em Lisboa para outros países da União Europeia, contribuindo para trazer "mais um milhão de passageiros a Lisboa e a Portugal durante a época de verão".

"Se falhar/recusar-se a agir e a TAP puder continuar a bloquear estes "slots", que eles não conseguem nem vão usar, a Ryanair será forçada a remover três aviões de Lisboa este verão e movê-los para outros países da União Europeia, bem como será forçada a fechar 20 rotas de Lisboa, temporariamente, este verão, com a perda de 150 postos de trabalho", ameaçou o líder da companhia aérea "low cost".

Michael O"Leary pediu ainda que António Costa atue no sentido de defender os interesses económicos de Portugal e da região de Lisboa, que poderão beneficiar de "um adicional de 250 milhões de euros de receitas turísticas", este ano, se a TAP libertar "slots" para a Ryanair.

O presidente executivo da Ryanair, disse, na quarta-feira, que a companhia aérea irlandesa pode ter de abdicar de 20 rotas em Lisboa, este verão, devido à acumulação de "slots" não usados pela TAP.

Esta posição foi transmitida por Michael O"Leary em conferência de imprensa, em Lisboa, durante a qual afirmou que a Ryanair pode ver-se "forçada" a reduzir o número de aeronaves da base em Lisboa, de sete para quatro, no verão de 2022, com a perda de 20 rotas de e para Lisboa, "tendo em conta a contínua acumulação de "slots" não utilizados" pela TAP no Aeroporto Humberto Delgado.

"A única razão para termos de mover estas aeronaves é porque a TAP não liberta "slots"", afirmou o responsável da Ryanair, acrescentando que enviou uma carta ao primeiro-ministro, António Costa, para que a TAP liberte "slots" (faixas horárias para descolar e aterrar) no aeroporto de Lisboa.

O plano de reestruturação da TAP, aprovado pela Comissão Europeia no final do ano, prevê que a companhia aérea portuguesa liberte 18 "slots" (nove pares) no aeroporto de Lisboa, mas apenas no inverno deste ano.

A Ryanair entende que a libertação de "slots" deveria acontecer já no verão e lembrou que investiu 700 milhões de euros no aeroporto de Lisboa, este inverno, com sete aviões, acrescentando estar disposta a continuar a investir no verão, "desde que o Governo português exija à TAP a libertação de alguns dos "slots" não utilizados até ao final de fevereiro.

Caso contrário, em março, a Ryanair ver-se-á "forçada" a retirar três aeronaves do aeroporto Humberto Delgado.

A companhia aérea irlandesa defendeu que a libertação de "slots" é uma forma de "promover a concorrência, o crescimento e salvaguardar rotas e empregos em Lisboa" e que, assim, poderia trazer a Lisboa mais um milhão de passageiros, este ano.

"Enquanto a Ryanair tem vindo a crescer, a TAP reduziu a sua frota em 20%, mas libertou menos de 5% dos seus "slots" em Lisboa, tendo já absorvido mais de 3.000 milhões de euros em auxílios estatais", apontou a companhia aérea "low cost".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+