Tempo
|
A+ / A-

Concertação social discute hoje salário mínimo e compensação para empresas

26 nov, 2021 - 08:20 • Lusa

Governo apresentou uma proposta para aumentar o salário mínimo nacional dos atuais 665 euros para 705 euros em 2022.

A+ / A-

O Governo e os parceiros sociais reúnem-se para discutir medidas para apoiar as empresas a absorver o aumento de 40 euros do salário mínimo nacional, no próximo ano, para os 705 euros.

Na reunião anterior, no dia 16, o Executivo apresentou uma proposta para aumentar o salário mínimo nacional dos atuais 665 euros para 705 euros em 2022 e manifestou-se disponível para avançar com medidas para ajudar as empresas a suportarem o acréscimo.

"O Governo tem disponibilidade, como teve no ano passado, para ajudar as empresas a absorver uma parte dos encargos" que resultam do aumento do salário mínimo nacional para 705 euros em 2022, afirmou o ministro de Estado, da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira, no final da reunião da Concertação Social.

O ministro indicou que esta medida seria discutida na reunião de hoje com os parceiros sociais, nomeadamente sobre se a mesma irá abranger a generalidade das empresas ou apenas alguns segmentos específicos.

Este ano, para compensar as empresas do aumento de 30 euros do salário mínimo, para 665 euros, o Governo avançou com uma solução que passou por devolver aos empregadores uma parte da Taxa Social Única (TSU).

Além da questão do salário mínimo nacional, a ordem de trabalhos da Concertação Social prevê a apresentação do Acordo de Parceria PT2030 e outros assuntos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+