Tempo
|
A+ / A-

Combustíveis. Medida do Governo é “ridícula”, diz Carlos Barbosa

16 out, 2021 - 11:18 • Pedro Mesquita , Filipe d'Avillez

O executivo anunciou uma redução do ISP que permite baixar o preço dos combustíveis em dois cêntimos na gasolina e um no gasóleo, mas o setor dos transportes não está convencido.

A+ / A-

O presidente do Automóvel Clube de Portugal considera “ridícula” a medida do Governo de baixar o ISP de forma a fazer descer o preço dos combustíveis em 2 cêntimos por litro na gasolina, e um no gasóleo.

O secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais explicou, na noite de sexta-feira, que se trata de uma medida temporária e que apenas acontece porque a receita do IVA está acima do previsto.

Carlos Barbosa, presidente da ACP, não se conforma com esta estratégia, diz que não se governa com impostos e considera que o Governo está a gozar com os portugueses.

“Acho esta medida completamente ridícula, mais do que isso é gozar com os portugueses. Efetivamente o aumento do combustível previsto para a próxima semana vai ser superior a isto, como sabemos”, diz, em declarações à Renascença.

“Não é através de impostos que se governa, é através de boa gestão, e o Governo, se não quer prejudicar o crescimento da economia depois da pandemia, tem pura e simplesmente que tirar mais impostos, para que a economia se possa desenvolver, para que os transportes possam andar, e sobretudo para que o preço final no consumidor não seja repercutido por este preço louco dos combustíveis neste momento”, conclui Carlos Barbosa.

Estas críticas surgem no dia depois de o presidente da Associação Rodoviária de Transportadores Pesados de Passageiros ter dito que para tomar esta medida, mais valia o Governo não ter feito nada, uma vez que apenas está a “irritar as pessoas”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Afirma, Pereira
    16 out, 2021 Portugal 15:48
    Os combustíveis têm de voltar a ser tabelados e os impostos subirem e descerem - mas descerem mesmo, não é esta ridicularia de 2 cêntimos - consoante o preço das matérias-primas. O "Mercado" e a "concorrência" não regulam nada. Então que voltem os preços tabelados.
  • ze
    16 out, 2021 aldeia 11:30
    O PS tem e continua a empobrecer o país e os portugueses, é altura de virar a página, para pior não iremos certamente.

Destaques V+