Tempo
|
A+ / A-

Moratórias. Deco pede regime transitório, porque muitas famílias não vão conseguir pagar

22 set, 2021 - 11:37 • Fátima Casanova , Marta Grosso

Presidente da Caixa Geral de Depósitos também pede, em entrevista à Renascença, urgência na implementação de um plano de apoio.

A+ / A-

A associação de defesa do consumidor Deco pede ao Governo que implemente um regime transitório a poucos dias de terminarem as moratórias.

“Deveria haver aqui um regime transitório para precisamente o final das moratórias, porque temos muitas famílias que não vão ter condições de, a partir de outubro, retomarem o pagamento”, afirma Natália Nunes à Renascença.

“Muitas que não conseguem, com as instituições de crédito, encontrar soluções que apresentem viabilidade e, portanto, serão com toda a certeza famílias que em outubro vão ser confrontadas com situação de incumprimento”, reforça.

Natália Nunes defende ainda que os bancos sejam obrigados a apresentar várias opções às famílias na altura de retomarem os pagamentos.

O pedido da Deco surge depois de o presidente da Caixa Geral de Depósitos ter avisado, na Renascença, que é urgente delinear um plano de apoio ao final deste apoio concedido pelo Estado no âmbito da pandemia de Covid-19.

Em entrevista à Renascença, Paulo Macedo lembra que as grandes linhas já são conhecidas, mas sublinha que falta saber como tudo vai ser operacionalizado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+