Tempo
|
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
Tudo o que precisa de saber sobre o Mundial 2022 Últimas Notícias Mundial 2022
A+ / A-

Iniciativa Liberal acusa Costa de fazer eleitoralismo com o IRS

07 set, 2021 - 14:26 • Eunice Lourenço , com redação

"A duas semanas das eleições autárquicas, o primeiro-ministro resolve ir à televisão dizer ao escalão que tem mais contribuintes, leia-se mais eleitores, que vão ter uma benesse”, diz João Cotrim Figueiredo, em entrevista à Renascença.

A+ / A-

O anúncio sobre revisão de escalões de IRS é eleitoralismo do primeiro-ministro, António Costa, acusa o líder da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim Figueiredo, em entrevista à Renascença.

João Cotrim Figueiredo lembra que no programa do PS estava a revisão do quinto e do sexto escalões do IRS. A mudança para a revisão do terceiro escalão tem, para os liberais, uma intenção puramente eleitoralista.

“Qual é a diferença entre o terceiro e o quinto escalão? O quinto escalão é onde é gerada mais receita fiscal, mas o terceiro é aquele onde estão mais contribuintes. A duas semanas das eleições autárquicas, o primeiro-ministro resolve ir à televisão dizer ao escalão que tem mais contribuintes, leia-se mais eleitores, que vão ter uma benesse”, afirma o líder da Iniciativa Liberal.

“Aviso aqui esses eleitores que só vão dar por isso, se derem, quando vier o reembolso do imposto de 2022, que há de ser algures não muito antes das eleições legislativas de 2023. Mais uma vez, eleitoralismo à frente de uma visão verdadeira para o país”, acusa o deputado.

OuvirPausa
"Mais uma vez, eleitoralismo à frente de uma visão verdadeira para o país”

A Iniciativa Liberal também alerta que a revisão dos escalões pode trazer aumento de impostos para muitos contribuintes devido ao aumento da progressividade.

E avisa que não é com uma política fiscal como esta que se atrai talento e se impede os jovens de emigrar.

“Ao mesmo tempo que na mesma entrevista se dedicaram largos minutos à fuga de talentos, reconhecendo que parte do problema da emigração não é só da inexistência de oportunidades atrativas de emprego em Portugal, mas também da fiscalidade excessiva e, sobretudo, da progressividade excessiva dessa fiscalidade, depois de vários minutos nisto, o que temos como solução? Desdobrar escalões, que pouco fazem para reduzir a progressividade. Até à notícias ou rumores que isto pode vir acompanhado de aumentos de taxas marginais nos escalões mais elevados, aumentando ainda mais a progressividade”, diz Cotrim Figueiredo.


Em entrevista à TVI, o primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo vai fazer uma revisão dos escalões do IRS.

António Costa defendeu que a prioridade vai ser no sentido de serem introduzida mudanças em dois escalões de rendimentos do IRS: o terceiro e o sexto.

“No terceiro escalão, que cobre rendimentos entre os 10 mil e os 20 mil euros, temos uma enorme diferença. Depois, há o sexto escalão, entre os 36 mil euros e os 80 mil euros, onde há uma diferença gigantesca”, apontou o primeiro-ministro.

Este é um excerto da entrevista ao líder da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, que será transmitida e publicada na Renascença nos próximos dias.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Bruno
    07 set, 2021 aqui 16:16
    Fala o verdadeiro líder da oposição. Tirando ele, não há oposição seria ao Governo.

Destaques V+