Tempo
|
Autárquicas 2021
35,58%
140Câmaras
13,83%
69Câmaras
11,41%
29Câmaras
7,9%
18Câmaras
5,68%
18Câmaras
4,1%
0Câmaras
2,57%
0Câmaras
1,54%
5Câmaras
1,15%
0Câmaras
12,08%
10Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3049 de 3092
  • Abstenção: 45,98%
  • Votos Nulos: 1,60%
  • Votos em Branco: 2,53%

A+ / A-

EDP

Venda das Barragens. Presidente da Agência Portuguesa do Ambiente nega facilitismo na aprovação do negócio

31 mar, 2021 - 11:02 • Celso Paiva Sol

APA demorou 11 meses a estudar este assunto e foram feitas centenas de reuniões. Em causa está o trespasse da concessão de seis barragens no Douro entre a EDP e a Engie.

A+ / A-

O presidente da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) nega que tenha havido qualquer facilitismo na aprovação da venda das seis barragens da EDP ou que a versão final contrarie pareceres internos, nomeadamente, do diretor de Recursos Hídricos.

Nuno Lacasta está a responder aos deputados da Comissão do Ambiente, no Parlamento, a quem já disse não ter havido divergências, nem omissões, nem qualquer desvalorização deste processo.

“Nada foi minimizado, pelo contrário, discordo veementemente com a qualificação feita”, afirmou.

O responsável explicou ainda que a APA demorou 11 meses a estudar este assunto, que foram feitas centenas de reuniões, e que os cinco departamentos envolvidos trabalharam 15 pessoas, praticamente, em exclusivo neste dossier.

Lembrou ainda os deputados que a instituição que dirige não tem qualquer competência de avaliação ou fiscalização fiscal. Portanto, não lhe podem ser colocadas questões sobre a eventual fuga ao fisco deste negócio.

Em 13 de novembro de 2020 foi anunciado que a Agência Portuguesa do Ambiente tinha aprovado a venda de barragens da EDP (Miranda, Bemposta, Picote, Baixo Sabor e Foz-Tua) à Engie.

A EDP concluiu, em 17 de dezembro, a venda por 2.200 milhões de euros de seis barragens na bacia hidrográfica do Douro a um consórcio de investidores formados pela Engie, Crédit Agricole Assurances e Mirova.

O negócio tem levado os partidos da oposição a lançar várias dúvidas, nomeadamente sobre o facto de a EDP não ter pagado o Imposto do Selo no valor de 110 milhões de euros.

Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+