Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Contratações na saúde com peso de 100 milhões para quatro meses

20 mai, 2020 - 10:52 • Lusa

Marta Temido salienta esforço feito para reforçar o SNS, para melhor responder à pandemia, e não afasta renovações futuras.

A+ / A-

As contratações de pessoal na área da Saúde para fazer face ao combate à pandemia do novo coronavírus representaram um acréscimo de 100 milhões de euros para apenas quatro meses, segundo anunciou a ministra da Saúde, Marta Temido, esta quarta-feira.

Durante a audição na Comissão Parlamentar de Saúde, a ministra sublinhou o esforço feito para reforçar o Serviço Nacional de Saúde (SNS), designadamente para permitir uma resposta à pandemia. Na área dos recursos humanos, representou um peso de 100 milhões de euros para quatro meses, “independentemente de renovações futuras”, que a governante não afastou.

“O reforço nos últimos anos permitiu ter um SNS mais pronto para responder a este momento difícil. Este ano, o que era o orçamento de início do ano já tinha um reforço pela primeira vez da despesa total efetiva consolidada de mais de 11 milhões de euros”, disse.

Marta Temido sublinhou que o orçamento financiado por impostos aumentou, por comparação com o ano passado, em mais de 940 milhões. A ministra realçou os vários reforços e injeções no SNS, destacando os 256 milhões para compensar os pagamentos em atraso.

Reforçar confiança no SNS


A ministra da Saúde falou da necessidade de reforço da confiança dos portugueses na utilização do SNS, não deixando de procurar o serviço sempre que necessário, na recuperação das consultas e cirurgias adiadas por causa da pandemia. Marta Temido assinalou que 36 hospitais já enviaram planos de recuperação, reagendando 30% das cirurgias e 40% das consultas.

A governante anunciou, ainda, que está a ser analisado o que poderá ser o reforço do país em capacidade de testes para uma eventual segunda onda de Covid-19.

Na intervenção inicial, afirmou que, com esta pandemia, o SNS teve “uma das suas maiores provas da sua existência”, “descobriu a sua força e reinventou-se”.

Marta Temido referiu, também, que ao longo do último ano, a receita do SNS “cresceu significativamente, revertendo tendência de decréscimo de anos anteriores”. A ministra da Saúde apontou um “incremento mensal de 65 milhões de euros no orçamento do SNS”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+