Tempo
|
A+ / A-

Inédito. UE suspende disciplina orçamental para responder à crise do coronavírus

20 mar, 2020 - 17:01 • Filipe d'Avillez

Ursula von der Leyen anunciou ainda uma ajuda de 37 mil milhões de euros para empresas do setor da saúde e para ajudar a manter empregos.

A+ / A-

Veja também:


A União Europeia vai suspender as regras de disciplina orçamental para todos os seus estados membros, ajudando dessa forma as economias a fazer face à crise provocada pela covid-19.

O anúncio foi feito esta sexta-feira por Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia.

Numa mensagem publicada no Twitter, a presidente disse. “Prometemos que faríamos tudo para apoiar os europeus e as empresas europeias nesta crise. Estamos a cumprir. Ontem pusemos em prática as regras de apoio estatal mais flexíveis de sempre, para apoiar pessoas e empresas. Hoje ativámos a cláusula para relaxar as regras orçamentais, possibilitando aos governos injetar dinheiro na economia”.

A mensagem é acompanhada de um vídeo no qual Ursula von der Leyen fala do efeito do coronavírus na economia e especifica o tipo de empresas que podem beneficiar da ajuda estatal: “Hoteis, restaurantes, empresas de transportes, pequenas empresas que arriscam fechar as portas sem apoio.”

A líder da Comissão Europeia insiste que esta é uma medida inédita que permite aos governos injetar o dinheiro que for preciso.

Ursula von der Leyen promete ainda 37 mil milhões de euros disponíveis “para apoiar as empresas do sector da saúde e para manter empregos.”

A Europa é, desde meados de março, o epicentro de uma pandemia que começou em Wuhan, na China. Itália e Espanha são os dois países europeus mais duramente atingidos pelo novo coronavírus, que em Portugal já fez seis mortos entre mais de mil casos confirmados.

Número de casos na Europa

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+