Tempo
|
A+ / A-

Lançada linha de crédito de 100 milhões para ajudar empresas a descarbonizar

06 jun, 2019 - 02:58 • Ana Carrilho

“Estamos no limite e se querem que a vossa empresa prospere no futuro, têm que agir agora. Queremos apoiar aquelas empresas que não querem pôr a cabeça na areia”, afirma o ministro do Ambiente.

A+ / A-

O Governo lançou esta quarta-feira uma Linha de crédito de 100 milhões de euros para ajudar à descarbonização em pequenas e médias empresas (PME) industriais e do sector do turismo.

A iniciativa, lançada no âmbito do Dia Mundial do Ambiente insere-se no Programa Interface, para a Descarbonização e Economia Circular.

Para o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, é claro que o país tem que fazer um “esforço de adaptação a uma economia neutra em carbono e mais eficiente o ponto de vista energético, o que exige mudanças e investimentos significativos. Mas também cria a oportunidade de novos produtos e modelos de negócio com energias mais limpas e maior eficiência energética. Por outro lado, permite a adaptação às empresas que já estão no terreno”.

Dez instituições bancárias assinaram o protocolo e garantem a operacionalização do apoio, financiado pelo FITEC - Descarbonização e Economia Circular e pelo Turismo de Portugal.

Beatriz Freitas, da Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua, esclareceu que a linha se destina a financiar projetos certificados e que levem à redução do consumo energético e introdução de mudanças em teros de economia circular. Por exemplo, substituição de equipamentos por ouros mais eficientes, alteração do uso de energias fósseis para renováveis. Também está prevista a bonificação das taxas de juro associadas a cada operação.

Para o ministro do Ambiente, Pedro Matos Fernandes, algumas empresas estão a perceber que a mudança está a chegar muito mais cedo do que esperavam; outras continuam a meter a cabeça na areia.

“Estamos no limite e se querem que a vossa empresa prospere no futuro, têm que agir agora. Queremos apoiar aquelas empresas que não querem pôr a cabeça na areia”, afirmou Matos Fernandes.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+