Tempo
|
A+ / A-

Comissão CGD. Joaquim Barroca e filhos de Manuel Fino convocados para audições

09 mai, 2019 - 15:39 • Sandra Afonso com Lusa

Empresário madeirense Joe Berardo é ouvido esta sexta-feira.

A+ / A-

Mais três empresários vão ser ouvidos na próxima semana, na comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Os deputados convocaram Joaquim Barroca, empresário do grupo Lena, e José Manuel Fino e Francisco Manuel Fino, filhos do empresário Manuel Fino, para audições no parlamento.

Joaquim Barroca, ex-administrador do antigo grupo Lena e também arguido na "Operação Marquês", devia 44 milhões ao banco público em 2015. O empresário deverá ser ouvido na quinta-feira, 16 de maio, pelas 9h30.

Manuel Fino devia ter sido ouvido na terça feira, mas dada a idade avançada, está com mais de 90 anos, os deputados decidiram chamar os filhos, que serão ouvidos dia 14, a partir das 9h30. Em causa está uma dívida de 138 milhões à Investifino. Os empréstimos terão sido concedidos para financiar a compra de ações da Cimpor, tendo como garantia o valor das próprias ações.

Joe Berardo vai ser ouvido esta sexta-feira, às 14h30. Segundo a auditoria da EY, em 2015, a Caixa tinha registado um crédito de 268 milhões de euros a Berardo e mais 53 milhões de euros à Metalgest.

Também na próxima semana deverão ser ouvidos o ex-vice-governador do Banco de Portugal Pedro Duarte Neves e ainda José Rui Gomes, ex-diretor de risco da Caixa Geral de Depósitos.

A audição de Pedro Duarte Neves está marcada para a tarde de quarta-feira, 15 de maio, pelas 17h00, e a de José Rui Gomes para quinta-feira, 16 de maio, pelas 14h30.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+