Os trabalhadores do Hospital de Cascais estão, esta sexta-feira, em greve para exigir a negociação da regulamentação coletiva de trabalho, que assegure horários de 35 horas e contratação de recursos humanos. A paralisação é convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas.

Ana Amaral, do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas (STFPSSRA), avança que o objetivo "é permitir que os trabalhadores do Hospital de Cascais possam ter as mesmas condições de trabalho, os mesmos direitos que os trabalhadores das outras instituições de saúde da administração pública".

Em declarações à agência Lusa, a dirigente sindical indicou que os trabalhadores reivindicam ainda "carreiras mais dignas", dando como exemplo a carreira de técnico auxiliar de saúde, "uma carreira especial enquadrada no Serviço Nacional de Saúde [SNS]" e que também está previsto que seja aplicado "para os trabalhadores dos hospitais PPP [parceria-público-privada]".

De acordo com o sindicato, a greve, entre as 8h00 desta sexta-feira e as 0h00 de sábado, inclui uma concentração de trabalhadores às 10h00 à porta da unidade hospitalar.