Tempo
|
A+ / A-

Muçulmanos na Europa podem chegar aos 14% em 2050

30 nov, 2017 - 10:01 • Filipe d'Avillez

Mesmo num cenário de crescimento máximo, a população islâmica continuará a ser minoritária na Europa nas próximas décadas. Em Portugal poderá crescer de 0,4 para 2,5%.

A+ / A-

A população muçulmana na Europa continuará a crescer ao longo das próximas décadas, mas estará longe de atingir a maioria, quer no continente, quer em qualquer um dos países que compõe a União Europeia.

Um conjunto de projecções feitos pela Pew Research Center, que estuda as tendências demográficas e de opinião das religiões no mundo, aponta para que, no máximo, os muçulmanos sejam 14% da população da Europa em 2050. Para os efeitos deste estudo considera-se Europa os 28 países que compõem a União Europeia, mais a Noruega e a Suíça.

O crescimento da comunidade islâmica baseia-se em dois factores. Por um lado os maiores índices de fertilidade, com muçulmanas a ter em média mais uma criança do que as mulheres não muçulmanas na Europa, mas também nos fluxos de imigrantes e refugiados que chegam à Europa. Uma vez que esses fluxos são instáveis, e variam não só consoante a realidade geopolítica nas regiões de origem, mas também de acordo com as políticas dos países de chegada, a Pew criou três modelos diferentes para as suas projecções.

Num modelo de migração zero, pressupondo um encerramento quase total das fronteiras da Europa, a população islâmica deverá crescer apenas até aos 7,4%, com a França a apresentar a maior comunidade, com 12,7% e Portugal a aumentar apenas de 0,4 para 0,5% de muçulmanos até 2015. Bélgica e Suécia teriam 11,1% o que equivale a pouco mais de um milhão de pessoas.

Um segundo modelo, de migração média, apresenta uma população islâmica de 11,2% em 2050, com o Reino Unido a ver a sua comunidade de muçulmanos a crescer até 16,7% e França com 17,4%. Nesta situação Portugal teria uma população islâmica de 2.5%, um crescimento significativo, mas ainda muito minoritário no contexto nacional.

Por fim, num modelo de migração alta a população muçulmana da Europa cresceria até aos 14%, com 75.550 milhões de muçulmanos. Neste cenário seria a Alemanha a apresentar a maior comunidade em termos brutos, com quase 17.5 milhões de pessoas, representando 19.7% da população. Mas em termos percentuais seria a Suécia a liderar, com 30% da população a professar o Islão. Já Portugal teria os mesmos 2,5% que do cenário anterior.

Estes dados tratam a comunidade islâmica como se fosse uniforme, embora na verdade seja bastante diversa, incluindo sunitas, xiitas, ismailis e sufis, entre outros, para não falar de diferentes culturas nacionais e étnicas.

As principais conclusões do estudo da Pew podem ser vistos aqui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • jeronimo silva
    10 set, 2019 lagos 09:43
    Nesta analise alguém se esquece que a França não são 17% mas sim 30% de muçulmanos em 2018 e que o país será governado por islâmicos antes de 2040 ou seja 20 anos, as portas serão escancaradas para todos os islâmicos que queiram vir para a Europa finalizar a sua islamização e a consequente aplicação da charia, terão também o acesso as armas nucleares francesas e á industria alemã, o reino unido estará preso por um fio dentro de 15 anos, o fim da Europa esta programada para 2050 se não for antes. Muitas pessoas que estão longe destes problemas dirão este é completamente maluco, também em França muitos pensavam igual, hoje já não pensam constatam o erro que cometeram.
  • Sweet suicide
    30 nov, 2017 Lx 11:52
    A velha Europa a suicidar-se....
  • ISLÃO PERIGOSO
    30 nov, 2017 Lx 11:16
    Pois, é a chamada islamização da Europa sem disparar um tiro...Continuemos rumo ao precipício e logo verão.Existem livros sobre esta matéria que falam neste fenómeno e os cobardes dos nossos políticos andam sempre a fingir que não vêm e com o discurso da "inclusão". Visitem os países islamistas e vêm que aí não se permite outra religião nem outra cultura e muito menos a famosa inclusão dos ocidentais....Uma vergonha...O Medina prepara-se para deixar fazer mais uma mesquita em Lx e ainda por cima com dinheiro dos contribuintes portugueses...Outra vergonha mas parece que os tugas gostam.Mais tarde vão-se queixar... Nos emiratos , no Sultanato de Omã, as mulheres são seres de terceira para esta religião que cultiva a guerra e o ódio....de 500 em 500 metros existem mesquitas em cada lado da estrada para doutrinar estes fanáticos.Conheço esses países e aquilo assusta muito...
  • TUGA
    30 nov, 2017 Lisboa 10:57
    Se os europeus quiserem!!!! ....claro....rua com essa escumalha, estamos a deixar uma bela herança às gerações futuras!!

Destaques V+