Tempo
|
A+ / A-

Sobe para 38 o número de casos de legionella

08 nov, 2017 - 11:09

Confirmação dada à Renascença pela Direcção-Geral da Saúde.

A+ / A-

Veja também:


Subiu para 38 o número de casos confirmados de pessoas infectadas pela doença do legionário (legionella) desde o dia 31 de Outubro e relacionados com o Hospital São Francisco Xavier, em Lisboa.

A informação foi avançada esta quarta-feira de manhã pela Direcção-Geral de Saúde (DGS) e já confirmada pela Renascença.

O novo boletim epidemiológico da DGS indica que a maioria dos casos ocorreu em mulheres (63%) e que os doentes infetados têm a maior parte (68%) idades iguais ou superiores a 70 anos.

Todos os doentes já têm doenças crónicas anteriores à infecção.

Na terça-feira, o Ministério Público anunciou a abertura de um inquérito ao surto de que surgiu no final do mês passado no Hospital São Francisco Xavier e que já causou dois mortos.

A investigação está a ser conduzida pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, que ontem ordenou a recolha dos corpos das duas vítimas para autópsia.

"O Ministério Público decidiu, esta terça-feira e por iniciativa própria, face às notícias vindas a público sobre surto de legionella e suas consequências, instaurar um inquérito”, anunciou a Procuradoria em comunicado.

“Tendo sido noticiadas mortes, entendeu-se, desde logo, que a realização de autópsia e de perícias médico-legais eram essenciais para a investigação em curso", acrescenta.

De acordo com a DGS, o primeiro caso de diagnóstico da doença dos legionários foi confirmado a 31 de outubro. Na passada sexta-feira foram confirmados oito casos, 14 no dia seguinte e quatro no domingo. Na segunda-feira, foram confirmados sete casos, na terça-feira três casos e esta quarta um outro.

Segundo o ministro da Saúde, a origem do surto foi o Hospital São Francisco Xavier e as primeiras evidências apontavam logo para uma emissão dentro do perímetro da unidade hospitalar.

Estas declarações surgiram depois de o presidente dos Serviços de Utilização Comum dos Hospitais (SUCH) ter dito à agência Lusa que as autoridades tinham identificado nas redondezas do São Francisco Xavier pelo menos sete equipamentos potencialmente produtores de aerossóis e por onde poderia também ter começado o surto.

Segundo o responsável, a maior probabilidade é que o surto tivesse tido origem nas instalações do hospital, mas, por precaução, a Administração Regional de Saúde (ARS) e o delegado de saúde fizeram o levantamento dos equipamentos potencialmente geradoras de aerossóis para fazer análises.

Ainda segundo o ministro Adalberto Campos Fernandes, o surto já terá entrado "em curva descendente" e os portugueses não têm qualquer razão para perder a sua confiança nos Sistema Nacional de Saúde nem nos seus profissionais.

Na sua opinião, “o que aconteceu foi, seguramente, uma falha técnica”.

A legionella é uma bactéria responsável pela doença dos legionários, uma forma de pneumonia grave que se inicia habitualmente com tosse seca, febre, arrepios, dor de cabeça, dores musculares e dificuldade respiratória, podendo também surgir dor abdominal e diarreia. A incubação da doença tem um período de cinco a seis dias depois da infeção, podendo ir até 10 dias.

A infecção pode ser contraída por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água ou por aspiração de água contaminada. Apesar de grave, a infecção tem tratamento efectivo.

O que é a legionella? Como se transmite? Perguntas e respostas sobre a bactéria que mata em Portugal
O que é a legionella? Como se transmite? Perguntas e respostas sobre a bactéria que mata em Portugal
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.