A+ / A-
Pior dia de incêndios do ano

Mais de 300 incêndios este domingo, 20 ocorrências importantes ocupam mais de 3 mil bombeiros

15 out, 2017 - 17:33

[em actualização]
A+ / A-
ANPC. "Hoje foi o pior dia do ano em matéria de incêndios"
ANPC. "Hoje foi o pior dia do ano em matéria de incêndios"

A adjunta de operações nacional da Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC) Patrícia Gaspar confirma que este domingo é “o pior dia do ano em matéria de incêndios", tendo sido já ultrapassados os 300 fogos florestais.

"Já ultrapassámos os 303 incêndios desde a meia-noite", afirmou Patrícia Gaspar, no 'briefing' das 17h30 aos jornalistas, sublinhando que estavam àquela hora "todos os meios disponíveis empenhados no combate aos incêndios".

A responsável da ANPC afirmou ainda que existiam 88 fogos activos às 17h30, 13 incêndios de importância elevada, destacando como mais graves os de Monção, o de Seia, o de Vale de Cambra, Lousã, Sertã e Arganil.

Todos os distritos estão em "alerta vermelho" e com outras 84 operações de rescaldo e vigilância, acrescenta Patrícia Gaspar.

As autoridades confirmam a existência de, pelo menos, 17 bombeiros e seis civis feridos.

Várias habitações arderam e mais de 15 povoações foram evacuadas devido aos incêndios de Monção, Seia e Lousã, segundo informação da adjunta de operações nacional da Autoridade Nacional da Protecção Civil.

A situação continuou a agravar-se e, às 19h15, eram 20 as situações preocupantes. No terreno estão mais de três mil bombeiros.

[em actualização]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Simone Pinheiro
    16 out, 2017 Porto Alegre Brasil 18:59
    Que lástima,Deus ajude a controlar esses incêndios!
  • Maria Santos
    16 out, 2017 Marinha Grande 01:18
    Não percebo como não consideram a situação do litoral, mais propriamente a zona da Nazaré, Légua até há Vieira de Leiria e Praia do Pedrogão e não sei se mais além. Já arderdeu pelo menos uma empresa, casas, um restaurante e não sei mais se ardeu mais algum destes bens. A Marinha Grande está completamente em alerta e eu não vou dormir, porque a qualquer momento se o vento mudar posso ter de sair de casa. E infelizmente já nem a rádio local tenho para poder estar informada. Numa população aqui perto, pessoas minhas amigas já tiveram de abandonar a casa e outras não sei.
  • maria
    15 out, 2017 lx 23:57
    Escreva aqui o seu comentário... o Nero com raiva de ter ficado sem governo, os galegos já o sabem!
  • Pedro
    15 out, 2017 Espinho 23:27
    Vamos pôr os nossos antigos governantes apagar incêndios, foram eles que acabaram com os guardas florestais, por isso isto vai sempre acontecer todos os anos, já não vale a pena fazerem nem prometerem nada, porque isto é a nossa cara do nosso pais que temos. temos de pôr os incendiários a limpar o que fizeram. Senhores ministros acabem com tudo isto que está a acontecer. mas quando acontecer numa casa de um ministro, Há aí já vai resolver alguma coisa. Espero que no próximo ano não haja incêndios. PARABÉNS AOS NOSSOS QUERIDOS BOMBEIROS.
  • Helena
    15 out, 2017 Castelo Branco 23:11
    Há uma rede de criminosos com interesses económicos nos incêndios, a devastar Portugal. Invista-se em investigaçáo a estas seitas. Nem a gasolina arde se não houver faísca!...
  • J.Batista
    15 out, 2017 Lisboa 23:09
    O diabo que a direita mandou, está aí a gastar os últimos cartuchos numa ofensiva inescrupulosa e sanguinária, bárbara assassina de teres e haveres de muita gente laboriosa deste País, coutada de marginais ansiosos e sequiosos de poder. Lavre-se leis duras e executem-se essas demandas com rigor e de forma severa e implacável para livrar a gente boa de vermes insanos e venenosos. A Polícia que actue com dureza perante esta canalha.
  • Alfredo Fernandes
    15 out, 2017 Belas 22:59
    Existe uma situação preocupante de um incêndio que já passou pela Madeirã e já se encontra na localidade de Álvaro, tendo passado por diversas aldeias com casaa e população em risco.
  • Ze_Merdas
    15 out, 2017 Ponte de Sor 22:52
    Estranho!!! Hoje não houve trovoadas nem altas temperaturas como de verão...
  • Carlos
    15 out, 2017 Lisboa 21:37
    A vergonha continua.Agora digam lá se isto não é TERRORISMO? Existe politica metida pelo meio disto tudo,o que querem provar? O terrorismo tem de ser combatido com medidas excepcionais. As leis não servem para nada,os juízes são moles e Portugal vai ardendo.Isto só para quando tudo arder.
  • Albano
    15 out, 2017 Lubango 20:46
    O negócio continua. Desde a criação destes organismos, proteção civil, gabinetes florestais, planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, normas e mais normas de proteção individual de bombeiros etc, que se interpreta a previsão meteorológica, e logo se dá alarme de risco que mais parece um arco íris. Nos dias que chegam logo tudo arde. Viva esta democracia!