A+ / A-

Passos em Belém diz que a sua reflexão "vai bem"

02 out, 2017 - 17:15

Depois de os sociais-democratas obterem um "dos piores resultados de sempre" na sua história nestas autárquicas, Pedro Passos Coelho disse que não se demitia, mas ia fazer uma reflexão.
A+ / A-

Pedro Passos Coelho afirmou que a reflexão que está a fazer sobre o seu futuro no PSD "vai bem", mas nada mais adiantou, acrescentando que não falou deste tema com o Presidente da República.

O presidente do PSD falava na Sala das Bicas do Palácio de Belém, em Lisboa, após ter sido recebido pelo chefe de Estado, durante cerca de 40 minutos, juntamente com o secretário-geral do PSD, José Matos Rosa.

Questionado pelos jornalistas se partilhou com o Presidente da República a reflexão que está a fazer na sequência dos resultados das autárquicas de domingo, respondeu: "Não falámos de eleições autárquicas".

Passos acrescentou a sua continuidade ou não à frente do PSD "não foi tema que tivesse sido tratado" nesta reunião com o chefe de Estado, que se centrou em "questões ligadas à situação portuguesa e europeia", no plano económico-financeiro.

Interrogado sobre como vai o seu processo de reflexão nesta altura, o ex-primeiro-ministro afirmou: "Vai bem, muito obrigado".

Quanto às conclusões dessa reflexão, considerou que "é uma questão prematura em termos de resposta", referindo que na terça-feira será feita "uma avaliação com mais detalhe dos resultados das eleições autárquicas", nos órgãos de direção política do PSD e em Conselho Nacional.

"Só depois disso é que poderemos dizer alguma coisa do ponto de vista de uma mensagem nacional que possa ter relevância. E eu não vou, até lá, fazer especulação sobre qual vai ser a avaliação que faremos nos órgãos próprios", declarou.

Contudo, frisou: "Aquilo que resultar da minha decisão dependerá da minha reflexão, como é evidente".

Sobre a actual situação económico-financeira nacional, Passos Coelho disse que o Orçamento do Estado para 2018 "foi justamente uma das matérias" sobre as quais o Presidente da República quis saber a opinião do PSD - que foi o primeiro dos sete partidos com assento parlamentar a ser ouvido esta semana no Palácio de Belém. "Trocámos algumas impressões sobre isso, mas essa é uma matéria sobre a qual ainda há muito pouco para poder conversar, na medida em que não existe da parte do Governo uma proposta de lei do Orçamento", observou.

Quanto ao Orçamento deste ano, Passos Coelho salientou "a importância de o país poder atingir a meta orçamental a que se propôs", o que no seu entender acontecerá com "grande probabilidade".


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Fausto
    03 out, 2017 Lisboa 00:34
    Tenho cá para mim...que o coelho...vai tirar uma Coelha...da cartola...
  • Filipe
    02 out, 2017 Barreiro 22:27
    Quem no PSD poderá substituir o sr Coelho? O sr Rio é do norte e nunca foi ministro. O sr Isaltino tem cadastro. O sr Silva está reformado, a sr Leite ultrapassou a idade, o sr Jardim é madeirense e um bocado louco, o sr Mota Amaral ....talvez não lhe interesse. Os jotinhas do partido ? .....são farinha do mesmo saco que o sr Coelho. Quem sobra!!! ....o sr Rangel?? não dá...é paineleiro televisivo! O sr Sarmento...ummm talvez...mas não lida bem com o stress. O sr Santana...outra vez não! Já sei... é o sr Marques Mendes!!! É de Lisboa, advogado, já foi ministro, fala bem na televisão, tem um ar honesto...e é benfiquista......mas....não dá, já foi presidente do PSD e não ganhou nada. Porra.. tenho que ser eu!
  • Cidadao...
    02 out, 2017 Viseu 22:08
    Sim, o mais certo e neste partido, cair a responsabilidade de ter que voltar a arrumar a casa como ja aconteceu. Por isso é preciso reflectir muito e bem.
  • xico
    02 out, 2017 ranholas 20:41
    Se continuar à frente do psd,o partido vai-se desvanecendo cada dia que passa.
  • ESTNFAZFALTA
    02 out, 2017 Cacem 19:15
    O alucinado! Não ouve... nem quer ouvir... Dra Ferreira Leite e o Dr José Miguel Judice entre muitos... pedem a sua demissão. Mas "PIOR QUE CEGO É AQUELE QUE NAO QUER VER" Vai cair de maduro... e ninguém.. vai ao seu velório...
  • carlos almeida
    02 out, 2017 Lisboa 18:59
    O Coelho conseguiu reduzir o PSD à expressão mínima e ainda vai reduzir mais. Só quando o PSD se livrar da tralha coelhista e chamar os sociais-democratas que expulsou é que os portugueses voltarão a confiar no partido.
  • Eborense
    02 out, 2017 Évora 18:31
    Dr. Passos. Não se chatei, porque se continuasse líder do PSD teria daqui a dois ou três anos, que voltar a tirar o pais da bancarrota. A xuxalhada anda toda eufórica, mas continua a gastar aquilo que não tem, senão vejamos "Dívida pública supera pela primeira vez os 250 mil milhões de euros". Alguém terá que vir novamente meter a casa em ordem e não será nenhum xuxa, certamente!
  • ESTENFAZFALTA
    02 out, 2017 cacem 18:22
    Continua alucinado p fumos!
  • João Lopes
    02 out, 2017 Viseu 18:10
    Hoje, 2 de outubro de 2017, a dívida pública superou fasquia dos 250 mil milhões de euros. Que irá fazer o Governo Social-Comunista?
  • adeus psd
    02 out, 2017 mafra 17:27
    CREIO QUE ESTA CRIATURA VIVE ALUCINADO !