Tempo
|
A+ / A-

Passos em campanha... para o dia seguinte às autárquicas

18 set, 2017 - 10:45 • Paula Caeiro Varela

O líder do PSD está em campanha, mas não é exactamente a pensar nas autárquicas. Ou não é só a pensar nelas. O que se joga por estes dias no PSD é já o combate seguinte: as eleições directas.

A+ / A-

Veja também


Foi um Verão quase sem pausas para o líder do PSD na corrida para umas eleições em que quer conquistar câmaras ao PS, mas a verdade é que entre as hostes social-democratas já está tudo a pensar no mesmo: depois das autárquicas, abre-se um novo ciclo de combate interno no partido. Com Rui Rio, se avançar mesmo, com outros eventuais candidatos, se os houver, mas - seguramente - com Pedro Passos Coelho nessa corrida.

E, se antes da pausa estival, Passos já tinha andado a fazer quilómetros para marcar presença em várias apresentações de candidatos, a 1 de Setembro o actual presidente do partido arrancou para uma volta mais intensa por todo o país. Nestas duas semanas de campanha oficial, o ritmo vai apertar ainda mais.

É tal qual uma campanha para eleições legislativas, com três ou quatro presenças por dia na agenda. A direcção do PSD garante que é feita em função das estruturas locais e não uma campanha organizada a partir da sede nacional do partido, mas a verdade é que há uma agenda paralela, não divulgada à comunicação social. Ou seja, Passos vai a outros locais, mas sem microfones e sem câmaras porque também é preciso acarinhar todas as concelhias.

Afinal, são as essas estruturas internas que contam nas eleições directas, lá para o início de 2018, e o líder actual já disse que avança outra vez. Aliás, na passada sexta-feira, numa acção de campanha, em Mafra, voltou a repetir para os que ainda têm dúvidas: quer ser primeiro-ministro outra vez em 2019. E o PSD, quererá também? Essa é a pergunta que mais vezes tem sido feita, debatida, analisada. Miguel Relvas, que foi número dois de Passos durante anos, respondeu este fim-de-semana ao “Expresso”: "Passos ganhou o direito a ser candidato a primeiro-ministro no dia em que ganhou as últimas eleições."

Relvas não acredita que Rui Rio avance desta vez, mas a verdade é que o ex-presidente da Câmara do Porto continua a movimentar-se, garantem à Renascença fontes do PSD. Rio não tem estado parado estes meses, marcando presença em eventos partidários, muitos deles sem serem noticiados. Faz um caminho. Talvez desta vez seja de vez.

Lisboa, Porto e o resto do país

Sim, as duas principais cidades são derrotas anunciadas para o PSD e, sim, essas duas vão contar para a análise dos resultados eleitorais quando chegar a noite de 1 de Outubro. Mesmo com o clássico Sporting-Porto marcado para esse dia, não será o futebol a impedir o escrutínio a Passos: os resultados em Lisboa e no Porto vão ser-lhe endossados com todos os encargos das derrotas pessoais.

O Porto – ao que tudo indica – continuará a sobrar para Rui Moreira, não para o PS, mas em Lisboa a direcção nacional do PSD acredita, ao que a Renascença apurou, que os resultados não vão envergonhar Passos. O sonho do CDS de ver Assunção Cristas ter um resultado melhor do que Teresa Leal Coelho (escolha pessoal do presidente do PSD) não passará disso mesmo, de um sonho, acreditam fontes social-democratas, que não revelam os números das sondagens internas.

A noite eleitoral pode trazer surpresas, dizem os apoiantes e até os críticos de Passos Coelho, sobretudo a Norte, onde há confiança em manter Braga (sacada a ferros por Ricardo Rio há quatro anos) e de ampliar vitórias em distritos como Aveiro.

Uma fonte dá como exemplo Guimarães, que pode ser conquistada ao PS; outra aposta na hipótese de uma derrota socialista em Coimbra, onde o candidato do PS, Manuel Machado, é também o presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

Tudo somado, portanto, e tendo em conta a derrota estrondosa de 2013, dificilmente o PSD pode fazer tão má figura. E se ganhar mais câmaras do que o PS, a margem para críticas diminui.

Ainda assim, a expectativa no partido é de que os ataques ao líder comecem logo a seguir, talvez ainda na noite das eleições, talvez no dia seguinte. O líder sabe disso, tal como sabe que a partir daí começa uma nova batalha. Na direcção nacional garantem: estão preparados.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pelos vistos
    19 set, 2017 lx 11:56
    O "querido líder", abandonou o apoio em Lisboa, à Teresa Coelho!...desapareceu na nortada! Ela está triste, coitada!...
  • pedro rui
    19 set, 2017 ovar 08:24
    A implosão do psd segue dentro de momentos. Viva!
  • Augusto
    19 set, 2017 Lisboa 00:31
    O PSD depois de apoiar uma candidatura claramente xenófoba em Loures, afastou muito do seu eleitorado de direita moderada. E em Lisboa o desejo dos militantes de se verem livres do Passos Coelho, pode levar a um desvio de votos para a candidata do CDS.
  • xico
    18 set, 2017 lixa 19:54
    Quanto tempo aguentará este psdzinho com esta criatura á frente? O tombo vai ser grande,e será que depois ele ainda terá esperanças para 2019?
  • JULIO
    18 set, 2017 vila verde 16:57
    Cuando o bce deichar de dar dinheiro a portugal estes cumentadores vão dar vivas a passos coelho e o pais inteiro
  • Lima Silva
    18 set, 2017 Aveiro 16:03
    Lindo, é o estoiro do PPD. Viva Passos que vai ser o coveiro deste cancro.
  • Carlos Gonçalves
    18 set, 2017 Almada 15:20
    É triste sim, que os " MEDIA " lhe dê atenção e cada vez mais como o caso da RR lhe dá apoio total. Uma direita total . Este facinora deu cabo de um País em quatro anos . A maçonaria e os media andam a tratar do caso. Toda a gente sabe antemão que este " Sr " está morto politicamente mas ainda haja " alguém " que não acredita . A Gerigonça ainda funciona, graças a todos nós , portugueses . A Igreja certamente não vai gostar disto !!
  • tuga
    18 set, 2017 lisboa 15:02
    Mais campanha?? para quê?? o homem passa a vida em jantaradas com uns otários só para dizer mal do governo e do monhé, isto não é campanha??? Mas só diz mal de tudo que mexe, ele e os destruidores do PSD que se servem do PSD. Pobre PSD é utilizado por vampiros só para subirem na vida, ao que este enorme partido chegou.
  • José Pereira
    18 set, 2017 Costa de Caparica 14:10
    Já foste!!!
  • Premonição
    18 set, 2017 Lis 13:41
    Que os PSDs continuem a aturá-lo!...por longo tempo!