A+ / A-

Médicos aconselhados a reportar falhas durante os partos

04 set, 2017 - 08:20

Em causa está o protesto dos enfermeiros especialistas em Saúde Materna e Obstétrica, que estão, desde a semana passada, a entregar o título de especialidade na sua Ordem.
A+ / A-

A Ordem dos Médicos está a aconselhar estes profissionais a reportar casos de falhas nas equipas multidisciplinares que asseguram os partos e que reúnam as condições mínimas de funcionamento dos serviços.

“Sempre que a composição das equipas não esteja assegurada, os médicos podem e devem apresentar por escrito um requerimento dirigido ao Conselho de Administração do hospital, ao Director Clínico, ao Director de Serviço de Ginecologia Obstetrícia, e com conhecimento do Bastonário da Ordem dos Médicos, salientando que a composição da equipa não obedece às condições mínimas de funcionamento dos blocos de partos como se encontram definidas na Norma Complementar 1/2013”, lê-se na nota publicada esta segunda-feira pelo Colégio de Ginecologia e Obstetrícia da Ordem dos Médicos.

As recomendações surgem na sequência dos protestos dos enfermeiros especialistas em Saúde Materna e Obstétrica, manifestando preocupação com as grávidas e com a qualidade das condições de trabalho das equipas multidisciplinares.

Desde a semana passada que os enfermeiros especialistas, muitos deles a trabalhar em blocos de partos, estão a entregar na sua Ordem o título de especialidade – o que impede que exerçam funções nos serviços especializados, uma acção para exigir a revalorização salarial das suas funções como especialistas.

Para que a informação passe ao hospital, a Ordem dos Médicos disponibiliza uma minuta de requerimento no seu site.

Segundo a Ordem, o processo reivindicativo dos enfermeiros especialistas em Saúde Materna e Obstétrica e a previsão de uma greve dos enfermeiros para os próximos dias 11 a 15 de Setembro podem afectar na sua composição as equipas multidisciplinares de assistência às grávidas e dos blocos de partos dos hospitais.

A composição destas equipas, do ponto de vista da qualidade e da segurança dos actos médicos a praticar, segundo a Ordem dos Médicos, deve obedecer às condições mínimas de funcionamento dos blocos de partos, conforme se encontram definidas na Norma Complementar 1/2013 do Colégio de Especialidade de Ginecologia Obstetrícia (homologada pelo Conselho Nacional Executivo da Ordem dos Médicos em 28.02.2014).

De acordo com a referida norma complementar, os blocos de partos devem cumprir diversas regras, nelas se incluindo a necessidade da presença de dois enfermeiros, um dos quais obrigatoriamente com a especialidade de enfermagem obstétrica.

"O atendimento das grávidas, muitas vezes, é subsumível ao conceito de atendimento urgente/emergente, o que fundamenta o dever de os enfermeiros assegurarem a prestação de serviços mínimos, tal como os médicos, e que, igualmente, se refere no requerimento disponível no portal", lê-se na nota.

Os enfermeiros especialistas estão em protesto há duas semanas, não cumprindo as funções especializadas pelas quais ainda não são pagos. O protesto seguiu-se a outro, nos mesmos moldes, ocorrido em Julho e que foi interrompido para negociações com o Governo.

No final de Agosto, os profissionais queixaram-se de ameaças por parte dos conselhos de administração dos hospitais e acusaram o ministro da Saúde de desonestidade e de ter enganado os profissionais.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • rosinda
    04 set, 2017 palmela 17:24
    Senhor bastos os hospitais sao como os lares quando algum velho cai la dentro a culpa e do utente! E acarretam as despesas para as familias porque as familias assinam contratos so de obrigacoes!
  • rosinda
    04 set, 2017 palmela 16:37
    Hoje na julia pinheiro os medicos falharam por todo o lado!