Tempo
|
A+ / A-

Agência Europeia do Medicamento. Moreira quer conhecer estudos que "chumbaram" o Porto

08 jun, 2017 - 14:30

O presidente da Câmara do Porto diz à Renascença não poder detectar "centralismo" na decisão do Governo de candidatar Lisboa porque as declarações do ministro dos Negócios Estrangeiros remetem para uma decisão técnica.

A+ / A-

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, quer conhecer o estudo que sugere que seja Lisboa a candidatar-se a sedear a Agência Europeia do Medicamento, recusando acusar. sem ter esses dados, a decisão do Governo de centralista.

"A partir do momento que o senhor ministro [dos Negócios Estrangeiros] disse que houve estudos e que houve ponderação, não posso afirmar isso", diz Rui Moreira à Renascença.

O autarca do Porto argumenta que, "se decisão é técnica, não seria lícito fazer considerações políticas sobre as questões do centralismo".

Com a saída do Reino Unido da União Europeia, vários organismos europeus naquele país terão de mudar-se para o espaço dos agora 27 e o Governo anunciou publicamente o interesse de apresentar uma candidatura portuguesa, que se revelou uma candidatura lisboeta, facto que Rui Moreira "estranha".

"Nós estranhamos porque ninguém nos pediu nada. A Câmara do Porto não foi ouvida nesta matéria", conta Moreira, acrescentando: "Falei com o reitor da Universidade do Porto, que, nesta matéria, tinha, obviamente, interesse - porque temos a Faculdade de Farmácia, dois cursos de Medicina, dois hospitais, o i3S e a própria Universidade do Minho, com quem também falei, ninguém sabia de nada."

Nestas circunstâncias, o presidente da Câmara do Porto pede que o ministro Augusto Santos Silva divulgue "os estudos que colocam o Porto mal classificado na avaliação que é feita".

"Se há estudos - e não podemos por em duvidar disso porque o senhor ministro disse que há -, esses estudos têm ser anteriores ao dia 27 de Abril, data em que a decisão já aponta para Lisboa e gostaríamos de conhecer os estudos, mais não seja para que, em situações futuras, nós possamos ser mais competitivos", remata Rui Moreira.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ó Piedade
    08 jun, 2017 Aveiro 18:42
    Tenha piedade de nós e deixe-se de comentários imbecis
  • Nuno
    08 jun, 2017 V.N.Gaia 17:31
    As explicações que pede sobre os estudos ., pode esperar porque não lhos darão e se tal acontecer será dada uma desculpa qualquer. Não duvide que a decisão já está tomada. Quanto a este sr, ministro apesar de ser de cá, também é um centralista como tantos outros que foram eleitos para defenderem as suas regiões e depressa se esqueceram delas, tudo o resto que possam argumentar e conversa.
  • Piedade
    08 jun, 2017 Almada 17:27
    Por vontade dos nortenhos, ia tudo para o Norte, se calhar, até a capital do país. É verdade que Portugal não é só Lisboa, mas há quem pense que que Portugal tem de ser tudo, menos Lisboa.
  • mendes
    08 jun, 2017 braga 16:10
    meu caro amigo se o governo e do ps e decidiu esta decidido-porque lisboa e portugal o resto do pais e paisagem