Tempo
|
A+ / A-

António Costa

"Dijsselbloem mostrou que é racista e xenófobo, não pode exercer na Europa"

22 mar, 2017 - 10:59

Primeiro-ministro condena palavras do presidente do Eurogrupo, que já recusou pedir desculpa pelas suas declarações.

A+ / A-
Costa diz que Dijsselbloem ofendeu povos do sul e "não pode exercer na Europa"
Costa diz que Dijsselbloem ofendeu povos do sul e "não pode exercer na Europa"

O primeiro-ministro português quer o afastamento do presidente do Eurogrupo. "Dijsselbloem mostrou que é racista e xenófobo, não pode exercer nenhum cargo na Europa", disse António Costa aos jornalistas, em Lisboa.

"Numa Europa a sério, o senhor Dijsselbloem já estava demitido neste momento," sublinhou.

Costa referiu ainda que Portugal "não tem lições a receber", tanto mais que "cumpriu escrupulosamente os seus compromissos com a União Europeia" e argumenta que a "estas ameaças não se deve responder estigmatizando, mas pelo contrário respeitando."

Questionado sobre a possibilidade da continuidade do holandês à frente do grupo dos ministros das Finanças do Euro, o primeiro-ministro disse ser "absolutamente inaceitável que continue".

"Espero que caia, está no governo a representar um partido que foi esmagado nas eleições da Holanda. Consideramos que a Europa não se faz com 'Dijssebloems'. Faz-se com os que acreditam na igualdade, se respeitam uns aos outros", afirmou.

Para Costa, estas declarações representam o perigo do populismo na Europa. "São absolutamente inaceitáveis. São também muito perigosas, porque demonstram bem qual é o perigo do populismo e que o populismo não está só naqueles que tem coragem de assumir que o são".

O primeiro-ministro disse ainda que "o senhor Dijsselbloem deve desaparecer, mas pior que o sr. Djsselbloem temos de fazer desaparecer o racismo, o sexismo, que não são exclusivos do sr. Wilders [candidato da extrema-direita holandesa], que aparece como lobo, mas o pior são os lobos que de disfarçam de cordeiros".

Numa entrevista ao jornal alemão "Frankfurter Allgemeine Zeitung", publicada no domingo, Jeroen Djisselbloem afirmou: "Como social-democrata, considero a solidariedade um valor extremamente importante. Mas também temos obrigações. Não se pode gastar todo o dinheiro em mulheres e álcool e, depois, pedir ajuda".

Dijsselbloem não pede desculpa

Jeroen Dijsselbloem, presidente do Eurogrupo, rejeita pedir desculpa por ter acusado os países do Sul de gastarem o dinheiro “em copos e mulheres”.

“Não, não, eu sei o que disse porque saiu da minha própria boca”, justificou o político holandês, em resposta ao pedido do eurodeputado espanhol dos Verdes, Ernest Urtasun, para que se desculpasse pelo comentário feito durante uma audição de uma comissão parlamentar.

Dijsselbloem manifestou-se surpreendido por as suas palavras terem tido tanta repercussão nos meios de comunicação social. “Deixei muito claro que a solidariedade caminha de mãos dadas com a responsabilidade e os compromissos”, afirmou.

O também ministro das Finanças da Holanda insistiu que os Estados-membros devem assumir o quadro fiscal que acordaram e realizar reformas e ajustes de forma a garantir uma “posição sólida”.

“Durante a crise do euro, os países do norte mostraram solidariedade com os países afectados pela crise. Como social-democrata, atribuo uma importância extraordinária à solidariedade. Mas também deve haver obrigações: não se pode gastar todo o dinheiro em copos e mulheres e depois pedir ajuda”, afirmou na entrevista Jeroen Dijsselbloem, que tem sido alvo de críticas em diferentes frentes.

Declarações polémicas

As declarações foram consideradas “vergonhosas” e “chocantes” pelo grupo dos Socialistas Europeus – ao qual Dijsselbloem pertence – que entende que o presidente do Eurogrupo “foi longe demais, ao utilizar argumentos discriminatórios contra os países do sul da Europa”.

Em Portugal também houve reacções, com o PS a pedir ao Partido Socialista Europeu (PSE) a condenação “imediata” das declarações “ultrajantes” proferidas por Jeroen Dijsselbloem e a retirada de apoio político a uma sua recandidatura ao cargo de presidente do Eurogrupo.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, pediu em Washington o afastamento do presidente do Eurogrupo.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ZÉ TUGA
    04 abr, 2017 Conchinchina 13:35
    Quem somos nós portugueses para dizer que o homem é racista e xenófobo ? Nós que tanto amamos os africanos, os brasileiros, os refugiados, os ciganos. É o sujo a falar mal do mal lavado .
  • Melanie
    01 abr, 2017 Cascais 11:53
    Agora é que o passos coelho se atira ao rio é diz que o empurraram
  • Manuel Salvador
    26 mar, 2017 Vila Viçosa 12:47
    Pior que este holandes só Sócrates, Costa e todos os ministros que são ainda e foram do Sócrates.E o PCP e BLOCO. Então não querem saber que a sede pelo poder e vigarice era tante que tudo que lhes fizesse frente ou acabavam com essa frente ou compravam.Os bancos BCP e Caixa na altura estavam sobre seu domínio e a PT também.Braços poderosos em qualquer engrenagem.Queriam comprar a TVI e o Jornal Sol por intrepostas pessoas para as silênciar. Agora vemos até onde esta gente pode chegar pelo poder e depois apoderar-se da riqueza.Por isso pergunto podemos estar sossegados com este governo de costa e ministros que segundo dizem queriam tomar o país de assalto e reinar a seu prazer, tipo CHAVES na Venezuela, que agora o povo não tem que comer e medicamentos estão a pedir à ONU que lhes envie porque à gente a morrer.De facto estou perplexo e com medo desta gente.Se nos embalam em conversas de mentira o nosso futuro corre serios riscos.E mais medo me mete se essa gente que está a ser julgada fica ilibada com ajuda dos seus comparsas que agoram nos governam.
  • Rui Meireles
    25 mar, 2017 Porto 18:00
    Óh costa a deputada do BLOCO, logo da geingonça diz que é. normal ouvir dizer isso nos corredores do parlamento.Será que quando vais a Bruxelas. as noites são longas e caras para o erário público.Será que para teres os socialistas do mundo contigo pagas umas rodadas.Se for assim pode-se explicar a fama que todos estamos sugeitos. Lá até há uns pubs geitosos e ás vezes aparecem por lá umas "couves de Bruxelas" a tentarem ser comidas.Eu gosto mais de couve Portuguesa.Mas para o caril a de bruxelas combina melhor.Vê lá por onde andas e depois queixa-te que falem assim.
  • Silva
    23 mar, 2017 Coimbra 11:32
    Se substituirmos por festas e romarias e portugueses por politicos e mais ou menos isso...
  • Petervlg
    23 mar, 2017 Trofa 11:10
    Costa o que andas a dizer aos teus amigos do PS
  • André
    22 mar, 2017 Portugal 20:05
    o antonio costa é um aldrabão que nem merece que lhe respondam. Se enfiou o barrete é porque acha que o governo ps da bancarrota andou em mulheres e a beber.
  • LUIS CORREIA
    22 mar, 2017 18:57
    PORTUGAL O PRIMEIRO PAÍS A INSURGIR-SE CONTRA AS PALAVRAS DESTE SENHOR TENHA VERGONHA ANTONIO COSTA SE HOUVESSE INSTITUICÕES COM TOMATES NUNCA O SENHOR SERIA PRIMEIRO MINISTRO OLHE PARA DENTRO DO SEU PARTIDO TIVEMOS UM PRIMEIRO MINISTRO QUE ROUBOU MILHARES DE PORTUGUESES E O SENHOR CALADINHO QUE NEM UM RATO
  • rosinda
    22 mar, 2017 18:38
    Aparece as contas do imi toca bater!
  • Falta força ao Sul
    22 mar, 2017 Faro 17:34
    Querem apostar que se a Alemanha e o boche Schauble o quiserem manter, este tipo, apesar do "capote" que o partido dele teve nas eleições, fica no tacho, diga ele o que disser? O Sul tem de ser mais unido e enérgico.