Tempo
|
A+ / A-

Três explosões acordaram Bruxelas há um ano. Hoje faz-se “um minuto de barulho”

22 mar, 2017 - 07:02

A 22 de Março de 2016, o aeroporto internacional e uma estação de metro da capital belga foram alvo de ataque. Morreram 32 pessoas. Marcelo Rebelo de Sousa participa nas cerimónias de homenagem às vítimas.

A+ / A-
Bruxelas assinala um ano após os atentados
Bruxelas assinala um ano após os atentados

Veja também:


A Bélgica assinala, esta quarta-feira, o primeiro aniversário dos atentados no aeroporto de Bruxelas e numa estação de metro de Maelbeek com cerimónias que incluem "um minuto de barulho" ao invés de silêncio.

As primeiras cerimónias decorrem no aeroporto de Zaventem, onde duas explosões lançaram o pânico e o caos às 8h00 (7h00 em Lisboa). Cinquenta minutos depois, uma outra ocorreu na estação de metro de Maelbeek.

Esta manhã, o rei Philippe e a rainha Mathilde presidem à homenagem às 16 pessoas mortas no aeroporto Zaventem pelos bombistas suicidas Ibrahim El Bakraoui e Najim Laachraoui.

De seguida, o casal real desloca-se para o metro de Maelbeek, onde o irmão de Bakraoui, Khalid, se fez explodir num comboio cheio de gente, matando outras 16 pessoas.

Quebrando a tradição, os funcionários do metro vão organizar um “minuto de barulho”, com os passageiros a serem convidados a participar, numa demonstração de “que não se esqueceram, mas que se vão manter firmes contra o ódio e o terror”, disse em comunicado a empresa de transportes públicos de Bruxelas, Stib.

Nessa altura, e à mesma hora em que se deu a explosão em Maelbeek, a circulação de comboios, eléctricos e autocarros será suspensa.

Por fim, o rei e a rainha vão inaugurar um novo memorial na rotunda Robert Schuman, no centro das instituições da União Europeia, sediada em Bruxelas.

Os atentados no coração da Europa fizeram 32 mortos e mais de 320 feridos. Foram reivindicados pelo autodenominado Estado Islâmico, grupo terrorista.

A Bélgica permanece em estado de alerta, com soldados a patrulharem as ruas, mas o Governo garante que “o país está mais seguro agora”.

À agência AFP, o ministro do Interior, Jan Jambon, alertou que ainda existe a ameaça de os extremistas que se juntaram às fileiras do Estado Islâmico na Síria regressarem à Bélgica.

Marcelo com agenda preenchida em Bruxelas

O Presidente da República Portuguesa participa esta quarta-feira nas cerimónias do primeiro aniversário dos atentados de Bruxelas. Marcelo Rebelo de Sousa encontra-se em visita oficial à Bélgica e será recebido pelos presidentes das instituições da União Europeia e pelo rei Philippe.

A agenda do Presidente começa com uma audiência, às 11h30 (menos uma hora em Lisboa), com o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk. Será depois disso que Marcelo se deslocará ao monumento evocativo dos atentados de 22 de Março de 2016, que vai ser inaugurado nas imediações das instituições europeias, no quarteirão europeu de Schuman, para depositar uma coroa de flores em memória das vítimas.

O Presidente será depois recebido em audiência pelo rei Philippe da Bélgica, após o que rumará ao Parlamento Europeu, onde tem prevista uma audiência com o novo presidente, Antonio Tajani, e um encontro com os eurodeputados portugueses.

No Parlamento, Marcelo Rebelo de Sousa efectuará uma breve visita à biblioteca do Parlamento Europeu, com passagem pela sala de leitura "Lucas Pires", e visitará uma exposição de pintura de oito artistas açorianos.

Ao final da tarde, o Presidente da República deslocar-se-á à sede da Comissão Europeia, onde terá um encontro bilateral com Jean-Claude Juncker, que o convidou ainda para um jantar com vários comissários europeus.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Paulo Riberiro
    22 mar, 2017 Porto 08:18
    Santa hipocrisia esta...Tanta celebração dos atentado Há 1 ANO Não sei se se aperceberam que há 2 dias atrás explodiu mais uma bomba em Bagdad (Iraque) e morreram 26 pessoas ...incluindo crianças.... Allo Planeta Terra acordem... Iraque (Mádio Oriente) ainda faz parte do Mundo... e da nossa civilização Esta Europa está mesmo decrépita...A continuar assim maus tempos se avizinham Qual Globalização!!!!