A+ / A-

FESTin premeia filme brasileiro

08 mar, 2017 - 23:15

"Big Jato", quarta longa-metragem de Cláudio Assis, mereceu o prémio máximo do júri e ainda a Matheus Nachtergaele o prémio de melhor actor.
A+ / A-

O filme "Big Jato", do realizador brasileiro Cláudio Assis, venceu o prémio de melhor longa-metragem de ficção do Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa - FESTin, que termina esta quarta-feira em Lisboa.

"Big Jato", quarta longa-metragem de Cláudio Assis, que já tinha sido distinguida no Festival de Brasília de 2015, mereceu o prémio máximo do júri do FESTin e valeu ainda a Matheus Nachtergaele o prémio de melhor actor.

Matheus Nachtergaele tem uma dupla interpretação no filme, no papel de um homem que ganha a vida a limpar fossas domésticas e do irmão gémeo, que trabalha numa rádio. A história do filme é narrada por Xico, um adolescente que ajuda o pai na limpeza de esgotos, mas prefere estar com o tio.

Esta é a segunda vez que Cláudio Assis é distinguido no FESTin, depois de ter conquistado o prémio de melhor filme em 2011 com "Febre do rato".

O FESTin atribuiu ainda outros galardões, dominados pelo cinema brasileiro, nomeadamente o de melhor realização e prémio da crítica para o realizador brasileiro Erico Rassi, pela primeira longa-metragem, "Comeback", uma "ode à velhice e como esta não é o fim, mas somente o recomeço", como descreve o festival.

Já o público elegeu "Uma vida à espera", do realizador português Sérgio Graciano, como a melhor longa de ficção do festival.

A actriz brasileira Glauce Guima recebeu o prémio de melhor representação feminina por "BR 716".

O filme "Curumim", do realizador Marcos Prado, sobre Marco Archer, o brasileiro que foi executado na Indonésia por tráfico de drogas, foi eleito o melhor documentário.

Na categoria de melhor documentário, o público escolheu "Um sonho soberano", filme de Gonçalo Portugal Guerra sobre Renato Barros, o homem que se intitula príncipe do ilhéu da Pontinha, na Madeira.

Nos prémios melhor curta-metragem, o júri escolheu "Universo Preto Paralelo" (Brasil), de Rubens Passaro, mas o público votou em "Kuru" (Portugal), de Francisco Antunez.

O prémio de melhor filme infanto-juvenil foi para "Lua em Sagitário", de Márcia Paraíso.

O FESTin terminou a oitava edição, dedicada ao cinema que se faz em português, com a exibição do filme "Elis", sobre a cantora brasileira Elis Regina, com a presença do realizador Hugo Prata e da actriz Andreia Horta.

O FESTin é organizado pela Associação Cultura e Cidadania da Língua Portuguesa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.