Tempo
|
A+ / A-

Ovelhas “Fidalga” ou “Amarela” vão ao Chiado. Desfile alerta para extinção do Queijo da Serra

07 mar, 2017 - 09:50 • Liliana Carona

A iniciativa, promovida pela autarca de Oliveira do Hospital, leva mais de 20 animais a Lisboa.

A+ / A-
Desfile de ovelhas no Chiado quer alertar para a extinção do Queijo da Serra
Desfile de ovelhas no Chiado quer alertar para a extinção do Queijo da Serra

Veja também:


Um rebanho de ovelhas e um carneiro de raça bordaleira da Serra da Estrela é esperado em Lisboa para um desfile no Chiado, esta terça-feira. A iniciativa partiu da autarquia de Oliveira do Hospital que pretende alertar para um produto em vias de extinção: o verdadeiro Queijo da Serra.

Às 7h00 da manhã, em Vila Franca da Beira, reuniam-se os animais, para começar a viagem.

A chamada pelos nomes, como “Fidalga” ou “Amarela”, não é para o pasto mas para o camião. “É num camião próprio para gado, com divisões próprias, para não caírem umas para cima das outras”, garante o Pastor António Lameiras.

Quantas ovelhas vão desfilar no Chiado? “São 24 ovelhas e um carneiro”, sorri António que se apressa a baptizar o único macho, com o nome de Renascença. “Este ainda não tem nome, pode ficar a chamar-se 'RR'”.

Visivelmente emocionado, o pastor António Lameiras, 75 anos, mostra-se satisfeito com a ida a Lisboa. “É um passeio, além de que serve de alerta”.

O gosto pelo ofício traz preocupações. O verdadeiro Queijo da Serra, aquele de goza de Denominação de Origem Protegida (DOP), está em risco, garante o pastor. “Não dão valor a este produto, pagam ao mesmo preço o leite das mochas, e este leite é melhor, e assim perde-se esta raça. Por isso é importante esta ida a Lisboa, para dar a perceber a importância destas ovelhas”, acrescenta.

Na mesma linha, o presidente da Câmara de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, garante que o que está em causa é um produto em vias de extinção.

“Estamos a apoiá-lo e a fazer com que não acabe. Este queijo é um produto em vias de extinção, o que é genuíno, feito com todas as regras", lembrando que quem se dedica a esta produção "não têm férias ou folgas".

Profissão sem folgas, domingos, ou feriados. Por amor se resiste. António Lameiras não queria outra vida. “Gosto disto, ando bem nisto, é assim”, concluiu.

O desfile pelo Chiado tem, aliás, um duplo objectivo. Promover também a Feira do Queijo que vai decorrer em Oliveira do Hospital nos dias 11 e 12 de Março, um evento onde também serão homenageados os pastores e queijeiras que mantém a autenticidade do produto.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Ramalho
    07 mar, 2017 Minde 15:02
    Tretas todo o queijo infelizmente e feito com leite espanho e artificial perguntem na Povoa das Quartas
  • 07 mar, 2017 Lagos 14:54
    Vão misturara ovelhas com carneirada no Chiado ?
  • 07 mar, 2017 LIsboa, Puto 11:06
    Ovelhas num País de carneiros.

Destaques V+