Tempo
|
A+ / A-

“Ei-los que partem”. Livro de Júlia Nery sobre emigração de jovens

23 fev, 2017 - 18:54 • Maria João Costa

Escritora, ex-professora, inspirou-se em jovens formados que não se vêem reconhecidos no seu país mas que procuram oportunidades pelo mundo.

A+ / A-

Na 18ª edição do Correntes d'Escritas, a Renascença falou com Júlia Nery, escritora portuguesa que arriscou escrever um livro que aborda a actual emigração portuguesa e a chamada “fuga de cérebros”.

No Cine-Teatro Garrett, na Póvoa de Varzim, Júlia Nery lança “Ei-los que partem”, livro editado pela Sextante.

Esta antiga professora confirma que se inspirou “em vários casos de amigos dos filhos, de antigos alunos”.

“Há, por exemplo, uma cientista que emigra porque o grande sonho dela é que haja água potável para toda a gente e em Portugal não tem hipótese de fazer as investigações que precisa de fazer e então parte para os Estados Unidos”, disse.

Júlia Nery lembra que falou com “investigadores, são artistas que, além-fronteiras, encontram bem o seu lugar. Por outro lado são jovens formados que andam à procura do primeiro emprego e que não se vêem reconhecidos”.

A escrita acrescenta que esta é uma geração que foi criada “com o mito da Europa, sentem-se como cidadãos europeus, não se consideram emigrantes, mas em circulação pelo mundo”.

O Correntes d'Escritas decorre de 21 a 25 de Fevereiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+