A+ / A-

Papa: “Há corrupção no Vaticano. Mas eu vivo em paz”

09 fev, 2017 - 12:03

Francisco assume que não se importa com críticas e que para viver em paz é necessário um certo desprendimento, mas “nunca lavar as mãos dos problemas”.
A+ / A-

O Papa admite haver corrupção no Vaticano. Francisco assumiu esta posição ao responder a algumas perguntas dos superiores de ordens religiosas e congregações. O encontro decorreu a 25 de Novembro, mas a transcrição só agora será publicada na revista "Civiltà Católica".

Neste encontro, explicou que nas congregações gerais prévias ao conclave “falava-se de reformas”. “Todas as queriam. Há corrupção no Vaticano. Mas eu vivo em paz”, admitiu nesta conversa com os religiosos, da qual o diário “Corriere della Sera” publica esta quinta-feira uma pequena parte.

Para viver em paz, diz Francisco, é necessário um certo desprendimento mas “nunca lavar as mãos dos problemas”, pois “se na Igreja há muitos Pôncio Pilatos que lavam as mãos para estar tranquilos e um superior lava daí as mãos, não é pai e não ajuda”.

Admite que na estrutura da Igreja pode encontrar-se “uma atmosfera mundana e principesca” e acrescenta que os religiosos “têm de contribuir para destruir este ambiente nefasto”.

Francisco assume que não se importa com críticas. “A vida está cheia de incompreensões e tensões e, quando são críticas que servem para crescer, aceito-as, respondo”.

“Não tomo tranquilizantes”, gracejou Francisco, que assegurou que em Buenos Aires era “mais ansioso”, mas que depois de ser escolhido sentiu uma paz interior que ainda hoje o acompanha.

Quando há um problema, contou, escreve uma mensagem num papel e coloca-a por baixo da estátua de São José que tem na sua habitação. “Agora, ele [São José] dorme debaixo de um colchão de mensagens de papel. Mas eu durmo bem. Durmo seis horas e rezo. Esta paz é um presente do Senhor. Espero que [Ele] não me a tire”, afirma.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vera
    14 fev, 2017 Palmela 11:26
    Sabedoria, consciência segura e tranquilo nos seus actos para com os outros, para com ele próprio e para com Deus! seguidor de João Paulo II e de Francisco de Assis, o Papa Francisco veio para nos ensinar... alguns já aprenderam qualquer coisa!!! mas o mundo é tão grande! é mesmo por amor ao próximo e por vontade de Deus, que o Papa Francisco caminha, por este mundo fora...
  • Mafurra
    09 fev, 2017 Lisboa 12:59
    É realmente um Papa a sério ! Tem feito mais pela Igreja que a maioria durante séculos. Mas tem de ter muita atenção a "quem não gosta de perder privilégios".