Tempo
|
A+ / A-

Papa rejeita aborto e eutanásia, sinais de uma "lógica do descarte"

05 fev, 2017 - 11:48 • Ecclesia

Francisco convidou os responsáveis pela formação das novas gerações a “construir uma sociedade acolhedora e digna para cada pessoa”. “Tanto a criança que está a nascer como a pessoa que está a morrer: toda a vida é sagrada”, insistiu.

A+ / A-
Papa rejeita aborto e eutanásia, sinais de uma "lógica do descarte"
Papa rejeita aborto e eutanásia, sinais de uma "lógica do descarte"

O Papa Francisco rejeitou este domingo o aborto e a eutanásia, que considerou sinais de uma "lógica do descarte", propondo como alternativa uma “cultura da vida”, evocando o exemplo de Santa Teresa de Calcutá.

“Toda a vida é sagrada”, disse, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro, para a recitação do Angelus.

O Papa associou-se à jornada que é celebrada este domingo em Itália sob o tema ‘Homens e mulheres pela vida nos passos de Santa Teresa de Calcutá’, desejando uma “corajosa acção educativa” em favor da vida humana.

“Promovamos a cultura da vida como resposta à lógica do descarte e à quebra demográfica, estejamos próximos e rezemos juntos pelas crianças que estão em perigo por causa de uma interrupção da gravidez e pelas pessoas em fim de vida”, apelou.

Francisco desejou que “ninguém seja deixado só” e que “o amor defenda o sentido da vida”.

“Lembremo-nos das palavras de Madre Teresa: A vida é beleza, admira-a; a vida é vida, defende-a”, referiu.

O Papa convidou os responsáveis pela formação das novas gerações a “construir uma sociedade acolhedora e digna para cada pessoa”.

“Tanto a criança que está a nascer como a pessoa que está a morrer: toda a vida é sagrada”, insistiu.

Antes, na catequese dominical, Francisco desafiou os católicos a ser “luz e sal” nos seus ambientes de vida, para “regenerar a realidade humana no espírito do Evangelho e na perspective do Reino de Deus”.

No final do encontro de oração, o Papa saudou os vários grupos presentes, incluindo estudantes de Penafiel.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vera
    06 fev, 2017 Palmela 13:34
    “Lembremo-nos das palavras de Madre Teresa: A vida é beleza, admira-a; a vida é vida, defende-a”, referiu." “Promovamos a cultura da vida como resposta 'a uma lógica' do descarte! e à quebra demográfica; estejamos próximos e rezemos juntos pelas crianças que estão em perigo por causa de uma interrupção da gravidez e pelas pessoas em fim de vida”, apelou. Obrigada Renascença, um abraço.
  • Emigrante
    06 fev, 2017 RCongo 08:34
    As pessoas sao como sao conforme optam no que acreditam. Se Deus criou o mundo e Jesus nasceu de uma Virgem cujo Pai era o Espirito Santo, entao quem criou os dinossauros????? Quem os extinguiu?! Nao critico as crencas de cada um, " Cada um sabe de si e Deus sabe de todos" isto para o caso da Eutanasia, "Ha quem queira e nao possa e quem tenha e nao queira saber" isto para o caso do Aborto. Como aqui ja comentei, a Igreja nos ultimos 2000 anos foi quem mais perseguiu, matou, enforcou ou queimou vivo quem nao era Cristao, portanto mais uma vez: Nao se metam na vida das pessoas e deixem de influenciar os governos por valores que so interessam a voces mesmos.
  • João Lopes
    05 fev, 2017 Viseu 19:37
    Abortar é matar violentamente nascituros indefesos e inocentes. São seres humanos eliminados silenciosamente na barriga das suas mães. A eutanásia e o suicídio assistido são outras formas diferentes de matar. Os médicos e os enfermeiros existem para defender a vida, não para matar nem serem cúmplices do crime de outros.
  • Lulu
    05 fev, 2017 moçambicana 14:06
    Saudação. Ao meu vaticano nesta responsável do Sr. Papa k da a graça. A todos. As crianças. Do mudo
  • Fr
    05 fev, 2017 Portugal 12:42
    Com o capitalismo muita coisa virou descarte. É natural que essa natureza se estenda se não forem as pessoas a intervirem e manterem um certo equilíbrio. Isso só se consegue com consciência e inteligência.

Destaques V+