Tempo
|
A+ / A-

Atentado faz seis mortos no Canadá. Primeiro-ministro fala em "ataque cobarde"

30 jan, 2017 - 06:31

Um estudante universitário é o único suspeito da autoria do ataque. Estado de alerta e segurança elevado em todo o país.

A+ / A-
Seis mortos e oito feridos em atentado no Canadá
Seis mortos e oito feridos em atentado no Canadá

Pelo menos um homem armado e encapuzado entrou numa mesquita da cidade do Quebeque, durante as orações da noite de domingo, e começou a disparar aleatoriamente. Seis pessoas morreram e oito ficaram feridas, algumas em estado grave.

Segundo testemunhas citadas pela agência Reuters, estavam cerca de 40 pessoas dentro daquele Centro Cultural Islâmico.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, diz ter-se tratado de “um ataque terrorista contra muçulmanos”.

“Condenamos este ataque contra muçulmanos num centro de oração e retiro. É desolador ver tanta violência sem sentido. A diversidade é a nossa força e a tolerância religiosa um valor que nós, canadianos, defendemos”, afirmou num comunicado oficial.

“Os muçulmanos canadianos constituem um elemento importante do nosso tecido nacional”, frisou.

Antes, num “tweet” publicado pouco depois do atentado, Justin Trudeau escrevia: “Esta noite, os canadianos sofrem por aqueles que foram mortos num ataque cobarde numa mesquita da cidade do Quebeque. Os meus pensamentos estão com as vítimas e as suas famílias”.

Segundo a polícia, a situação está agora “sob controlo” no perímetro do Centro Cultural Islâmico e 39 pessoas deixaram o local em segurança.


Único suspeito é um estudante universitário

Um estudante universitário é o único suspeito da autoria do ataque contra uma mesquita no Quebeque, disse ao final da tarde fonte próxima do processo à agência Reuters.

O alegado autor do ataque chama-se Alexandre Bissonnette e tem 27 anos. Não estava referenciado pelas autoridades.

De acordo com o jornal canadiano “Le Soleil”, poucos minutos depois do ataque, o homem telefonou para a polícia a dizer que estava arrependido e que queria entregar-se.

Uma segunda pessoa foi detida nesta investigação, mas é considerada testemunha no processo. Trata-se de Mohamed Khadir, que estuda na mesma universidade que Alexandre Bissonnette.

O caso chocou a sociedade canadiana. Em declarações à Renascença, o fotógrafo Taylor Moore, a viver em Portugal, mais precisamente em Sintra, lembra que este tipo de acontecimento é praticamente inédito no Canadá.

Para Taylor Moore, pode estar ligado com as declarações do primeiro-ministro canadiano, que mostrou disponibilidade para acolher todos os imigrantes rejeitados pelos Estados Unidos.

“Tenho a certeza que terá alguma relação. Essa declaração terá desencadeado estes acontecimentos. As coisas não estão a correr muito bem com as novas políticas da administração Trump e, certamente, vão fazer-se sentir as consequências disso, dentro e fora dos Estados Unidos. De qualquer maneira, esta situação no Canadá é única e muito infeliz. Estas coisas são extremamente raras no Canadá”, sublinha o fotógrafo canadiano.

Mantêm-se as dúvidas sobre a motivação do ataque

A imprensa tinha avançado a possível existência de um outro homem no ataque, mas a informação não foi confirmada.

“Para já, há dois suspeitos que foram detidos, um detido perto do local [do ataque] outro à saída do Quebeque, perto de Île d’Orleans. Portanto, há duas pessoas detidas e serão presentes a inquérito”, anunciou numa primeira fase a porta-voz da polícia provincial do Quebeque, Christine Coulombe, em conferência de imprensa.

Durante a tarde os suspeitos foram identificados como Alexandre Bissonnette, natural do Quebeque, e Mohamed Khadir, descendente de marroquinos.

Mantêm-se as dúvidas sobre a motivação do ataque. A teoria de um ataque levado a cabo por nacionalistas antimuçulmanos parece ser incompatível com o facto de um dos suspeitos ser ele mesmo de origem árabe. Por outro lado, a teoria de que se trata de um caso de violência entre muçulmanos sunitas e xiitas também é uma possibilidade, mas carece ainda de confirmação e é menos provavel sendo a mesquita sunita, sobretudo sendo um dos suspeitos marroquino, uma vez que os ataques de xiitas contra sunitas são raros no ocidente e a esmagadora maioria dos marroquinos são sunitas.

Há indicação de que o terrorista terá gritado "Allahu Akbar" durante o ataque, que significa "Deus é Grande" e é o grito frequentemente usado por jihadistas, mas mesmo que seja verdade, poderá ter sido de forma irónica, por se tratar de um ataque contra muçulmanos.

Segundo Christine Coulombe, as idades das vítimas variam entre os 35 e os 70 anos.

Numa conferência de imprensa conjunta posterior, com o primeiro-ministro do Quebeque, esta segunda-feira de manhã, o ministro da segurança do Quebeque, Régis Labeaume, elogiou a acção das autoridades desde o primeiro minuto e anunciou o reforço da segurança em todas as zonas de culto da cidade de Quebeque e de Montreal.

O primeiro-ministro do Quebeque, Philippe Couillard, confirmou, por seu lado, que “o Quebeque foi atacado pelo terrorismo” e sublinhou que “teremos de o enfrentar com coragem e com solidariedade”.

Endereçou, depois, as suas condolências a toda a comunidade e, em especial, às vítimas e suas famílias.

No plano internacional, o Presidente francês, François Hollande, foi o primeiro a reagir, condenando o atentado e considerando que os terroristas querem atingir o espírito da paz e a abertura das pessoas do Quebeque”.

[Notícia actualizada às 19h05]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Pinto
    30 jan, 2017 Custoias 20:31
    E os atentados feitos por muçulmanos o que são?
  • P/AP
    30 jan, 2017 rqtp 15:34
    Oh ap eu não convivo com muçulmanos nem muito menos com gente retrógrada que pensa que são os donos da verdade. Isto não é uma questão de querer que sejam iguais a mim, mas perceber algumas mentalidades é de ficar pasmado. E outra, se sou contra estas raças é porque sei do que eles são e o que são capazes de fazer. São eles os verdadeiros racistas. São eles que matam porque os outros pensam diferente, Até com as suas raças eles são racistas, São sunitas contra xiitas e nos seus países matam-se uns aos outros sem sentido, perseguem os yazidis e discriminam e perseguem os católicos, quanto às mulheres só podem casar com quem eles aceitam, senão fazem os crimes de honra, são eles que impõem o véu islâmico mas que pensam que as outras mulheres são todas umas p#ts. Eu quero é que tu te f#das mais toda esta gente que quer viver em países democráticos mas que não respeitam nem acreditam nos bons valores da democracia, querendo impor as suas crenças e seus costumes de mda. Muitos destes muçulmanos não passam de uns cobardes, disfarçantes, de retrogradas e ingratos. Ou queres que te explique tudo o que afirmei? Vai ver se estou na esquina.
  • AP
    30 jan, 2017 Portugal 14:36
    Para o Para oh pois é verdade. Cuidado quando saíres à rua. Em Portugal e na peninsula temos convivido com muçulmanos desde a reconquista... Não sei como tens conseguido conviver com eles... E já agora: essa do "se não concordas comigo és como eles" à verdadeiro beócio está tão batida de que até dá sono...
  • rui
    30 jan, 2017 damaia 14:23
    Cobarde e' quem faz comentarios idiotas contra "essa gente" sem compreender que quem reza numa mesquita e' mesmo "essa gente"
  • Pois é oh verdade
    30 jan, 2017 rqtp 13:41
    Oh verdade os terroristas matam todos os dias o seu próprio povo e são estes terroristas que fazem de escudo o povo quando há bombardeamentos para eles. Agora vires para aqui tentar desculpar desculpas com outras, esta não pega. E então as torres gêmeas, onde morreram 5000 pessoas, já te esqueceste?! Ou não serás tu da mesma laia destes que metem as bombas e matam por todo o lado?
  • Filipe Fino
    30 jan, 2017 Olhão 12:46
    Oh Roque Almeida você prova que quem apoia os Trumps deste mundo não deve muito à inteligência...leu a notícia? Compreendeu a notícia? Ou isso não importa?
  • CAMINHANTE
    30 jan, 2017 LISBOA 12:15
    Deve-se aguardar o esclarecimento da situação antes de comentar. Todavia, sejam quem sejam os autores da acto terrorista, o que é certo, querem gostem ou não, é que os países Ocidentais ( e não só...) estavam bem melhor em matéria de paz social e segurança antes de se terem aberto fronteiras e importado milhões de muçulmanos ( não é uma questão de "racismo", é uma questão de mentalidade cultural estrutural induzida pelo Islão.)
  • José Saraiva
    30 jan, 2017 Viseu 12:13
    "COBARDES" são os políticos que não tem CORAGEM para admitir a realidade fria e cruel dos verdadeiros objectivos "dessa gente"..
  • PSC
    30 jan, 2017 4450-208 12:03
    Continuem a ser "bonzinhos"! Continuem! E depois admirem-se de que há o Trump e outros que, felizmente, hão-de pôr cobro a esta carnificina! Quem com ferro mata com ferro morre! Sabedoria do Povo.
  • Pedro Ribas
    30 jan, 2017 Beja 11:42
    Eis os frutos da árvore maligna que dá pelo nome de Trump.

Destaques V+