Tempo
|
A+ / A-

Novo aeroporto. “Não podemos esperar mais”, diz presidente da Confederação do Turismo

10 dez, 2016 - 21:45 • Ana Carrilho

Francisco Calheiros lembra apostas da TAP nos Estados Unidos e na China e no retorno de milhões que isso pode trazer se houver capacidade aeroportuária.

A+ / A-

O presidente da Confederação do Turismo Português considera que o Governo tem tomar uma decisão rápida sobre o novo aeroporto para Lisboa.

Na sessão de encerramento do Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), Francisco Calheiros sublinhou que a capacidade do aeroporto Humberto Delgado está esgotada.

É preciso uma nova alternativa a curto prazo, tanto mais que a partir do próximo ano, nas novas rotas para os Estados Unidos e para a China vão trazer muitos mais milhares de turistas, alerta o presidente da Confederação do Turismo.

“Não podemos exigir mais turistas e não termos as condições de infra-estruturas para os acolher e permitir o seu fluxo interno no destino e da sua redistribuição inter-regiões. A TAP está a investir em força no novo estratégico do Atlântico Norte com a ambição de trazer mais turistas dos Estados Unidos e prepara-se no próximo ano para arrancar com os primeiros voos directos para a China. O impacto que estes dois mercados gigantes podem ter no nosso turismo – e consequentemente na economia nacional – é incalculável. A capacidade aeroportuária de Lisboa é determinante para a competitividade da economia portuguesa. Não vamos nem podemos esperar mais”, disse.

O aeroporto, a promoção de Portugal, a redução de custos de contexto para o sector e a legislação laboral são os quatro grandes objectivos da Confederação do Turismo para 2017.

Sobre as anunciadas alterações à legislação laboral, Francisco Calheiros fez questão de reafirmar que o sector do turismo é específico, está sujeito à sazonalidade e por isso, o regime contratual tem que ser diferente.

O congresso da APAVT decorreu nos últimos três dias em Aveiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Vasco
    12 dez, 2016 Santarém 22:14
    Possivelmente o Montijo já apontado muitas vezes como hipótese seria uma boa opção começando por criar algumas infraestruturas para receber os primeiros aviões e indo avançando com as obras ao logo do tempo consoante o aumento de tráfego , tem sido assim que a Portela tem sido modificada ao longo dos anos e pelos vistos continua e no Montijo poder-se-ia encontrar a solução a curto prazo sem grandes custos iniciais, sem qualquer solução é que parece que nada poderá avançar.
  • 12 dez, 2016 Lisboa 14:37
    Duas sugestões: 1. Ampliar pista do Humberto Delgado e colocar todas as low-cost no Montijo ou, 2. Temos a várzea de V.F.Xira para poder construir um verdadeiro aeroporto de dimensões internacionais, pensando já no futuro, e Humberto Delgado ficaria para vôos domésticos e low-cost
  • ADISAN
    12 dez, 2016 Mealhada 13:46
    Portugal precisa sim de um novo aeroporto, mas não em Lisboa. A Região Centro, nomeadamente Leiria, Fátima, Coimbra, Castelo Branco, é que necessita mesmo de um novo aeroporto internacional. Na Alemanha, por ex., há um aeroporto a sensivelmente cada 70 kms. .
  • fb
    12 dez, 2016 Portugal 10:18
    Aproveitem a inclinação do parque eduardo XVII, passem duas camadas de alcatrão (não se preocupem com os controladores aéreos, porque não faltam à volta)... problema resolvido e baratinho
  • Filipe Cunha
    11 dez, 2016 Ovar 14:17
    Beja está feito e fica a uma hora de Lisboa. Se Bergamo é vendido como sendo Milão porque não Beja como Lisboa?
  • agora?
    11 dez, 2016 lx 12:10
    É que estão com pressa? Onde andavam há 6 anos?...Este sr deveria saber que um aeroporto internacional a serio, repito a serio, e não venham com remendos em pano roto, levará 10 anos a construir, até estar operacional! Agora, chamem-lhe despesismo e obra faraónica!...Estava mais do que provado que a Portela iria em breve estar saturada, tudo indicava para isso, e com a agravante da sua localização ser uma completa insegurança para a cidade de Lisboa! Uma vez que o tráfego aumenta, a probabilidade de insegurança tornar-se-à, exponencialmente maior! Mas o tuga visionario, só põe trancas na porta quando lhe assaltam a casa!...
  • Vítor
    11 dez, 2016 Maputo 08:29
    Um novo aeroporto pode ser uma boa oportunidade para uma empresa de logística portuguesa demonstrar que se pode fazer melhor mais barato do que se faz na Portela.

Destaques V+