A+ / A-
visto de bruxelas

​Bruxelas recebe carta de Lisboa e Berlim manda recados

28 out, 2016 - 14:37

No Visto de Bruxelas, como habitualmente, passamos em revista os temas que marcaram a semana na Europa e também em Portugal.
A+ / A-
Visto de Bruxelas (28/10/2016)
Visto de Bruxelas (28/10/2016)

Já hoje, Bruxelas confirma a recepção da carta com as respostas do Governo português sobre o caminho a seguir em 2017 com vista ao cumprimento das metas do défice. Noutro plano, Portugal volta a estar na mira do ministro alemão das Finanças. Wolfgang Schauble considera que o país estava no bom caminho, até o actual Governo assumir funções. Uma declaração que já motivou diversas reacções que temos escutado ao longo do dia aqui na Renascença.

Neste espaço Euranet falámos ainda do alívio em Bruxelas e no Canadá. Está desbloqueado o tratado de livre comércio, o chamado acordo CETA, rejeitado pela Valónia, uma região francófona com pouco mais de 3,5 milhões de habitantes. Ora, os valões entendiam que estava em risco a protecção dos agricultores e dos consumidores belgas. E a pressão surtiu efeitos. O Governo federal belga aceitou as exigências e o fim do impasse permite agora a assinatura do tratado de livre comércio entre a União Europeia e o Canadá.

Finalmente, os sublinhados a um artigo do jornal “The Guardian”, que publica declarações de Theresa May defendendo a permanência da Grã-Bretanha. As palavras da agora Primeira-ministra foram proferidas a 26 de Maio (ainda antes do referendo) numa palestra do banco Goldman Sachs. Theresa May era, nessa altura, ministra do Interior no governo de David Cameron e falava das vantagens, sobretudo económicas, da permanência do país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.