A+ / A-
Qualificação para o Mundial

Victor Santos, o português que quer ganhar a Portugal

07 out, 2016 - 12:45 • João Fonseca

O presidente da Federação de Futebol de Andorra nasceu no Estoril, mas emigrou para Andorra há 41 anos. Embora tenha festejado o título europeu de Portugal, quer ganhar o jogo esta noite, em Aveiro.
A+ / A-

Victor Santos é o presidente da Federação de Andorra, país onde está radicado há 41 anos e onde esteve desde sempre ligado ao futebol. Natural do Estoril, o dirigente fez carreira como treinador no país que o acolheu e só depois, no início do século, entrou para a federação andorenha até chegar chegar ao cargo que ocupa actualmente.

Esta sexta-feira "é especial" para Victor Santos já que frente-a-frente estarão dois países que fazem parte da sua vida, o de nascimento e o de acolhimento. Durante a viagem até Portugal, o dirigente parou o seu carro, para falar a Bola Branca sobre o embate desta noite, em Aveiro.

"É uma partida muito especial para mim, mas hoje defendo as minhas cores que são as de Andorra, como presidente. O melhor resultado possível era de 0-1, assino agora mesmo", começa por dizer.

O presidente de Andorra que confessou ter festejado "com muito orgulho" o título europeu conseguido por Portugal, em França, não teme o natural favoritismo luso, até porque como diz, "as estatísticas são para serem quebradas".

"No futebol tudo pode acontecer. Não existem milagres, mas com sacrifício e esperança..." o dirigente acredita numa surpresa. Víctor Santos considera que a força da sua selecção está "no trabalho, na ilusão e no sacrifício". Mesmo com Ronaldo e companhia do outro lado, até porque depois do título alcançado em França, o dirigente acredita que Portugal vai agora tentar o título de campeão do Mundo.



Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.