Tempo
|
A+ / A-

Rio Ave

Pedro Duarte: "Gil Dias será no futuro um jogador de Selecção A"

19 set, 2016 - 18:15 • João Fonseca

Conheça a história do esquerdino que foi campeão nacional pelos juniores do Braga e que este domingo brilhou diante do Sporting, com um golo e uma assistência.

A+ / A-

Gil Dias é a revelação do Rio Ave na nova temporada e foi, este domingo, para Bola Branca, o melhor em campo na vitória sobre o Sporting, por 3-1, fazendo uma assistência e marcando o terceiro golo dos vilacondenses.

O número 31, dispensado aos 11 anos do Sporting, teve um percurso nas camadas jovens da Sanjoanense, de onde se transferiu para Braga. Foi neste clube, nos juniores, que o esquerdino viria a conquistar o título de campeão nacional, treinado por Pedro Duarte.

Técnico que, desde a China, onde actualmente está a trabalhar, confessou a Bola Branca que, no futuro, o avançado "será jogador de selecção".

Pedro Duarte recorda a chegada do canhoto aos "arsenalistas", na altura um miúdo que sabia "ouvir" os conselhos e com uma "orientação familiar e de ex-treinadores que fizeram com que até agora mantivesse os "pés bem assentes na terra".

A temporada terminou em grande para o jovem da Gafanha da Nazaré, que se "tornou na referência ofensiva da equipa, fazendo golos, assistências e conseguindo faltas" que acabavam por proporcionar situações perigosas para o seu emblema.

Gil Dias deixou Braga sem ter chegado à equipa principal, numa transferência que o levou até aos franceses do Mónaco, onde estava Leonardo Jardim. O facto de ser, nessa altura, ainda júnior e inexperiente reduziu-lhe as hipóteses de revelar o seu potencial, acabando por ser emprestado ao Varzim, clube que era comandado por Nuno Capucho.

Pedro Duarte lembra como o técnico do Rio Ave conheceu o virtuosismo de Gil Dias.

"O Capucho conhece muito bem o Gil, porque, curiosamente, no jogo que fizemos no Olival, no ano em que fomos campeões, ganhando por 3-2, o Gil fez uma exibição fantástica", recorda o treinador português, desde a China.

Pedro Duarte sublinha que o técnico que viu o número 31 dos vilacondenses "brilhar" nessa partida é o mesmo que o foi buscar primeiro para o Varzim e, agora, para o Rio Ave.

Num percurso que tem sido sóbrio e sem grande alarido, Gil Dias chega à quinta jornada e à recepção ao Sporting a titular, cotando-se como o melhor homem em campo na última partida.

Pedro Duarte explica a exibição do avançado. Capucho tinha pedido para a sua equipa "ser mais agressiva ou arrogante, no bom sentido, e o Gil Dias fez isso. Foi arrogante, foi para cima dos defesas, procurou o drible".

O treinador enaltece as qualidades técnicas do jogador do Rio Ave: "O Gil Dias tem um drible muito curto, rápido, tem uma aceleração grande. Como se costuma dizer em gíria, o pé esquerdo do Gil é um pé esquerdo que fala, porque tem muita qualidade".

Pedro Duarte trabalha há dois meses na China, também na formação, inserido num projecto de organização do Tianjin Teda, que está a construir "uma Academia nova". Uma experiência "positiva" e que lhe "tem dado imenso prazer".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.