A+ / A-
Trabalho Sem Fronteiras

Catalunha independente serve interesses da Europa

07 set, 2016 - 13:22

Entrevista à Renascença do responsável pela diplomacia catalã, Raul Romeva.
A+ / A-
Trabalho sem fronteiras (07/09/2016)
Trabalho sem fronteiras (07/09/2016)

No espaço Euranet desta quarta-feira, avaliamos a forma como o processo de independência da Catalunha pode contribuir para a capitalização democrática do actual projecto europeu.

Em entrevista à Renascença, o responsável pela diplomacia catalã, Raul Romeva, defende que estes dois factores estão profundamente relacionados.

Na semana em que foi inaugurada uma inaugurou uma delegação da Generalitat em Lisboa, Romeva sustenta que a emergência das crises actuais não diminui a relevância de processos como o da Catalunha, desde logo, porque esse processo pode oferecer pistas e soluções a muitos dos problemas que se vão colocando à Europa.

Nesta entrevista a José Bastos, o responsável pela diplomacia do governo autónomo da Catalunha defende, por outro lado, que a questão da independência é um elemento chave na actual crise de governabilidade em Espanha.

Raul Romeva defende que, se o PP e o PSOE concordassem na realização do referendo na Catalunha, os partidos catalães poderiam viabilizar uma solução governativa.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.