Tempo
|
A+ / A-

Morreu Elie Wiesel

02 jul, 2016 - 22:05

Prémio Nobel, escitor e activista contra o Holocausto tinha 87 anos.

A+ / A-

O Prémio Nobel da Paz em 1986 Eliezer “Elie” Wiesel, sobrevivente dos campos nazis do Holocausto, morreu este sábado aos 87 anos nos Estados Unidos, de acordo com o Museu Memorial do Holocausto Yad Vashem, em Israel.

Elie tinha 15 anos quando foi deportado, juntamente com sua família, para o campo de concentração de Auschwitz, na Polónia, onde morreram a mãe e a irmã mais nova. Posteriormente, esteve no campo de Buchenwald, no leste da Alemanha, onde morreu o pai.

Quando terminou a II Guerra Mundial (1939-1945), foi estudar para a Universidade de Paris, tendo chegado a trabalhar como jornalista. A partir de 1976, deu aulas na Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

Elie Wiesel escreveu "Trilogia da Noite", que inclui "Noite" (1958), "Amanhecer" (1960) e "Dia" (1961), baseada nas suas experiências de adolescente nos campos de concentração de Auschwitz, Buna e Buchenwald.

Além do Nobel da Paz, Elie Wiesel foi agraciado com a Medalha Presidencial da Liberdade, concedida pelo Presidente dos EUA, com a Medalha de Ouro do Congresso norte-americano e com a Grã-Cruz da Ordem Nacional da Legião de Honra francesa. Com a sua mulher, Marion Rose, criou a Fundação Elie Wiesel para a Humanidade.

Wiesel “deu expressão à vitória do espírito humano sobre a crueldade e o mal, através da sua extraordinária personalidade e dos seus livros fascinantes”, escreveu o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

“Na escuridão do Holocausto, na qual os nossos irmãos e irmãs foram mortos — seis milhões —, Elie Wiesel foi um raio de luz e um exemplo de humanidade que acreditava na bondade das pessoas”, acrescentou Netanyahu.

Nascido na Roménia, a 30 de Setembro de 1928, na localidade de Sighet Elie, Wiesel usou o seu estatuto de sobrevivente do Holocausto para também chamar a atenção para outras situações de genocídio.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+