A+ / A-

PP vence eleições em Espanha, mas sem maioria

26 jun, 2016 - 19:02

Situação política continua indefinida porque nenhum partido tem maioria absoluta.

A+ / A-
Rajoy reclama direito a governar mas promete "falar com toda a gente"
Rajoy reclama direito a governar mas promete "falar com toda a gente"

Está completa a contagem em Espanha. O PP, de Mariano Rajoy, vence as eleições legislativas, aumenta a sua vantagem (137), mas continua sem conseguir a maioria absoluta.

O actual Chefe de Governo, no discurso de vitória, não tem dúvidas: "Ganhámos as eleições e reclamamos o direito de governar". Rajoy garantiu, entretanto, que a partir de amanhã vai "falar com toda a gente" na busca de um parceiro que lhe permita um Executivo estável.

Os socialistas do PSOE resistem, mantêm o segundo lugar, mas perdem lugares no Parlamento e ficam com apenas 85 deputados.

A coligação Unidos Podemos consegue 71 deputados e o Cidadãos perde força e alcança 32.

Em relação a Dezembro, há poucas alterações e nenhum bloco consegue os 176 lugares necessários para governar em maioria.

Pablo Iglésias, líder do Unidos Podemos, reagiu aos resultados: "Não são satisfatórios para nós. Preocupa-nos a perda de apoios do bloco progressista. Preocupa-nos que o bloco conservador das direitas e o PP somaram mais apoios. É momento de reflectir."

Logo a seguir, Pedro Sànchez, líder do PSOE, também reconheceu que "não” está satisfeito. “Nós, socialistas, queríamos ganhar estas eleições e não o conseguimos. Contudo, somos a primeira força política da esquerda".

O secretário-geral socialista deixou depois um recado ao líder do Podemos: "Espero que o senhor Iglésias reflita sobre estes resultados."

Por sua vez, Albert Rivera, líder do Ciudadanos, já disse que está aberto a negociar uma solução de Governo: "Com uma condição: não podemos pôr os lugares [no Governo] à frente. Se assim for, o Ciudadanos estará na oposição."

O PP e os catalães da Esquerda Republicana foram os únicos partidos que subiram face às eleições de Dezembro. As projecções deste domingo, apresentadas logo após o encerramento das urnas, chegaram a dar a coligação Unidos Podemos à frente dos socialistas, mas isso acabou por não se confirmar com os resultados.

[Actualizado às 23h30]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • rosinda
    26 jun, 2016 palmela 21:42
    a vida e tao facil sao os homens que a complicam!Enquanto nao acabar esta das maiorias absolutas vai haver sempre dificuldades em formar governo!