A+ / A-
Euro 2016

Claro. Ronaldo eleito o melhor em campo no Hungria-Portugal

22 jun, 2016 - 19:21

Capitão da Selecção Nacional é também o primeiro jogador da história a marcar em quatro fases finais.
A+ / A-

Cristiano Ronaldo foi eleito o melhor jogador em campo no empate entre Hungria e Portugal (3-3), esta quarta-feira, a contar para a última jornada do Grupo F do Euro 2016.

Com dois golos, obtidos na segunda metade, o capitão da Selecção Nacional foi determinante para o precioso "pontinho" que apurou a equipa das quinas para os oitavos-de-final.

De resto, CR7 tornou-se, esta tarde, no primeiro jogador da história do futebol a marcar em quatro fases finais de campeonatos da Europa consecutivas.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Miguel Botelho
    23 jun, 2016 Lisboa 14:58
    Se o treinador fosse forte e tivesse carácter, haveria espírito de equipa e Ronaldo ou CR7 não seria importante. Jogar para Ronaldo é apenas a vontade das grandes corporações e máquinas de fazer dinheiro que incentivam Portugal a ser aquilo que não é. Na verdade, Ronaldo ou CR7 é um homem estragado e mal formado.
  • Ana M.
    23 jun, 2016 Porto 00:15
    Eleito o melhor em campo. Para mim, reeleito o melhor do mundo. "De resto, CR7 tornou-se, esta tarde, no primeiro jogador da história do futebol a marcar em quatro fases finais de campeonatos da Europa consecutivas." - Mais um feito e mais uma vez é o CR7 que faz a diferença, uma diferença que se tornou a maior ajuda para nos deixar seguir em frente. Ao mesmo tempo que o criticam e o acusam de ser individualista, é dele que exigem uma jogada de génio, um momento de inspiração, um golo... e outro e mais outro. Se é dele que esperam e exigem o tal momento que faça a diferença e leve a selecção às vitórias, então é altura de deixarem de ser hipócritas e reconhecerem que é muito graças ao seu individualismo que as vitórias surgem. Parabéns a Portugal e muito em especial ao CR7, pelo que fez contra a Hungria, mas acima de tudo, por aquilo que tem feito na sua carreira. "Não é por morrer uma andorinha que se acaba a Primavera". E não é por uma qualquer exibição menos conseguida, um qualque penalti falhado ou um qualquer remate nada certeiro que se acaba o enorme talento de um excelente jogador de futebol.
  • A Martins
    22 jun, 2016 Braga 20:31
    E ainda há gente a defender que a seleção devia prescindir de Cristiano Ronaldo, apenas um dos melhores jogadores do mundo. Não há pachorra!