Tempo
|
A+ / A-

Patriarca sírio escapa a tentativa de assassinato

21 jun, 2016 - 01:35

Três membros de uma milícia cristã foram mortos pela explosão do bombista suicida, mas o Patriarca Inácio Aphrem II sobreviveu ao ataque durante uma cerimónia de comemoração das vítimas dos massacres de cristãos pelos otomanos.

A+ / A-

O Patriarca da Igreja Ortodoxa Siríaca, Inácio Aphrem II, escapou ileso a uma tentativa de assassinato no passado domingo, em Qamishli, na Síria.

O responsável por aquela igreja, com cerca de cinco milhões de membros, estava no local para presidir a uma celebração em memória das vítimas cristãs dos massacres levados a cabo pelos otomanos, há cem anos, e que para além de arménios mataram vários milhares de assírios, como são conhecidos os cristãos que actualmente vivem sobretudo na Síria e no Iraque e que são também apelidados de siríacos e caldeus.

Um homem terá tentado aproximar-se da celebração mas foi interpelado por membros da Sutoro, uma milícia cristã que actua na região em parceria com as forças curdas. Quando o terrorista percebeu que não iria conseguir prosseguir deflagrou os explosivos, matando-se de imediato e causando a morte a três dos seguranças cristãos, ferindo ainda vários outros.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas Qamishli fica perto de território do Estado Islâmico e as zonas cristãs da cidade já foram alvo de vários atentados nos últimos seis meses.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+