Tempo
|
A+ / A-

Meeting Lisboa. Um encontro para “sair e ir encontrar as pessoas”

15 abr, 2016 - 12:17 • Cristina Nascimento

Presidente da República é um dos convidados do quarto Meeting Lisboa, que acontece este fim-de-semana no CCB.

A+ / A-

Mais de três mil pessoas são esperadas desta sexta-feira a domingo na tenda por trás do Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa. Trata-se da quarta edição do “Meeting Lisboa”, um evento de inspiração cristã com conferências, exposições e espectáculos.

Este ano o mote para o encontro é “E tu, que novidade trazes?”. À Renascença, Catarina Almeida, membro da organização, explica que a ideia é privilegiar a troca de visões sobre a vida.

“O ‘meeting’ pretende ser um local de encontro e de diálogo entre todas as pessoas a partir dos aspectos mais transversais da vida”, explica.

Durante os três dias vão passar pela tenda do CCB cerca de 20 oradores, das mais diversas áreas, e haverá várias iniciativas.

“Teremos conferências sobre aspectos diversos, por exemplo sobre trabalho ou sobre a experiência dos refugiados. Teremos exposições, uma sobre a violência, outra sobre o pintor Millet e outra sobre a personagem principal dos ‘Hunger Games’. Numa das noites temos um encontro com o cantor João Só”, exemplifica Catarina Almeida.

A ideia é “encontrar as pessoas, tal como elas são, na linha do desafio que o Papa Francisco tem feito à Igreja: sair e ir encontrar as pessoas”, acrescenta.

Presidente na abertura dos trabalhos

Entre os oradores estará o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. “É um visitante que recebemos com muito agrado e com muito gosto. Esperamos que traga alguma novidade ao ‘meeting’ e que o ‘meeting’ traga alguma novidade a ele”, diz Catarina Almeida.

O “Meeting Lisboa”, que tem o apoio da Renascença, é o culminar de um ano de trabalho por parte da organização. “Ao longo do ano é um pequeno grupo de pessoas que o prepara, mas depois o evento só acontece graças aos voluntários que na hora dos acontecimentos asseguram tudo”, explica a organização.

A iniciativa é totalmente feita à base de trabalho voluntário e com o apoio dos patrocinadores. “É impressionante. Estão inscritos mais de 150 voluntários, desde miúdos do secundário até pessoas que trabalham até às 18h00 e depois vão para o CCB montar a estrutura do ‘meeting’”, diz Catarina Almeida.

Durante o evento também é tudo trabalho destas pessoas: da montagem às limpezas, da arrumação da tenda ao funcionamento das bancas, diz.

Com visível entusiasmo, Catarina Almeida remata: “Nenhum de nós, nem os visitantes, nem os organizadores, está preocupado com nada a não ser comunicar mesmo alguma coisa que é tão boa para nós que achamos que vale a pena o mundo inteiro saber e isso implica um esforço, um sacrifício muito compensador”.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+