A+ / A-

Atentados não devem levar europeus a abandonar a sua "herança", diz patriarca

22 mar, 2016 - 17:09

Numa mensagem gravada e divulgada pelo Patriarcado, D. Manuel Clemente expressa a sua solidariedade com as vítimas e suas famílias, após os atentados que esta terça-feira fizeram 34 mortos e centenas de feridos.
A+ / A-
"Não se confundam grupos radicalizados com populações, etnias ou religiões"
"Não se confundam grupos radicalizados com populações, etnias ou religiões"

Veja também:


Em momento como estes, é preciso manter "viva" a "herança" e os valores europeus, diz o patriarca de Lisboa, comentando os atentados desta terça-feira em Bruxelas.

Numa declaração divulgada em vídeo pelo Patriarcado, D. Manuel Clemente expressa as suas condolências e solidariedade às famílias das vítimas.

O cardeal apela à serenidade e respeito pelos direitos humanos e pelas leis: “Em momentos destes, todos nós, como concidadãos na Europa, temos de manter bem viva aquela que é a nossa herança em termos de direitos humanos, da dignidade de todos e de cada um, de respeito pelas leis e de nos mantermos fiéis àquilo que como europeus nos constitui no melhor.”

É necessário, diz ainda D. Manuel, que é presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, não confundir as coisas: “Não olhando para estes acontecimentos como realidades mais gerais do que são, porque são protagonizados por grupos radicalizados que, de maneira alguma se podem confundir com populações, etnias ou religiões”, diz.

Os atentados em Bruxelas fizeram 34 mortos e cerca de 200 feridos, segundo a comunicação social local. Houve um atentado suicida no aeroporto da capital e outro no metro de Maalbeek.

Estes ataques já foram reivindicados pelo Estado Islâmico.


legislativas 2019 promosite
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.