Tempo
|
A+ / A-

Papa apela ao fim da pena capital: “Também o criminoso tem direito à vida"

21 fev, 2016 - 12:37

Francisco pede aos governantes que se empenhem na construção de uma justiça penal conforme à dignidade do homem.

A+ / A-
Papa apela ao fim da pena capital
Papa apela ao fim da pena capital

O Papa Francisco lançou este domingo um forte apelo à defesa da vida, pedindo o fim da pena capital neste Ano da Misericórdia, que diz ser a altura certa para procurar um consenso internacional.

“O mandamento ‘não matarás’ tem valor absoluto tanto para o inocente como para o culpado”, exortou Francisco depois da oração do Ângelus no Vaticano. “Também o criminoso tem o direito inviolável à vida, dom de Deus”, sublinhou.

“Faço um apelo à consciência dos governantes para que se alcance um consenso internacional a favor da abolição da pena de morte. E proponho aos governantes católicos que cumpram um gesto corajoso e exemplar: que nenhuma condenação seja executada neste ano santo da Misericórdia”, declarou o Papa.

“O jubileu extraordinário da Misericórdia é uma ocasião propícia para promover no mundo formas cada vez mais amadurecidas de respeito pela vida e pela dignidade de cada pessoa”, disse.

O Papa Francisco entende que as sociedades modernas têm capacidades para reprimir os crimes e dar possibilidade para redimir na óptica de uma justiça penal conforme à dignidade do homem.

Esta segunda-feira realiza-se em Roma o congresso internacional organizado pela Comunidade de Santo Egídio, precisamente sob o tema "Por Um Mundo Sem Pena de Morte”. “Desejo que este congresso possa dar um novo impulso ao compromisso pela abolição da pena capital”, disse Francisco.

No final da oração do Ângelus, o Papa referiu também o recente encontro que manteve com o patriarca de Moscovo. “Elevemos um louvor especial à Santíssima Trindade por ter querido que, nesta ocasião, acontecesse em Cuba o encontro entre o Papa e o patriarca de Moscovo e de todas as Rússias, o caro irmão Cirilo, um encontro tão desejado também pelos meus antecessores.”

“Este acontecimento é uma luz profética de ressurreição de que o mundo, hoje, precisa mais do que nunca. Que a Santa Mãe de Deus continue a guiar-nos no caminho da unidade”, acrescentou.

Antes de se despedir dos milhares de fiéis que se encontravam na Praça de São Pedro em Roma, o Papa anunciou que iria pedir para distribuir umas caixas de “medicamento especial” chamado “Misericordina”, que contêm um terço e uma imagem de Jesus Cristo, no sentido de promover neste Ano da Misericórdia a oração pelo amor, o perdão e a fraternidade.

"Misericordina Plus". A receita do Papa Francisco
"Misericordina Plus". A receita do Papa Francisco
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel Santos
    21 fev, 2016 Vila Nova Gaia e Suiça 14:36
    Gosto muito do Papa Francisco . Tenho gostado de quase todas as suas doutrinas mas esta não . Quem MATA com intenção não merece perdão !
  • Alexandra
    21 fev, 2016 Portugal 13:25
    Muitas vezes até têm mais direitos do que aqueles que nunca cometeram crimes.

Destaques V+