Tempo
|
A+ / A-

Síria e Iraque têm “sede de futuro”. Por carta, chegam apelos contra o esquecimento

10 fev, 2016 - 07:17 • Matilde Torres Pereira

“Há cinco anos que continuamos a andar num deserto”, lê-se na missiva chegada da Síria e assinada por Gregorios III Laham, o patriarca melquita, que pede que as atribulações dos cristãos nas zonas de conflito sejam lembradas em oração nesta Quaresma.

A+ / A-

Na resposta a um veemente apelo dos patriarcas do Iraque e da Síria, a Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) convocou para esta quarta-feira de cinzas uma jornada de jejum e oração pelos cristãos perseguidos nesses países.

O pedido foi enviado por carta pelos patriarcas caldeu, Louis Raphael Sako, e melquita, Gregorios III Laham, em dois textos expressivos descritos à Renascença pela presidente da AIS, Catarina Bettencourt Martins.

Da Síria, devastada pela guerra civil há cinco anos e onde se contam milhões de deslocados das suas casas, o patriarca Gregorios escreve que “dia após dia, a nossa fé é posta à prova”. “Vemos o sofrimento das crianças e a agonia dos pais. Estamos rodeados pelo ódio e pela morte. Desejamos apenas conseguir voltar a viver em paz na nossa amada pátria.”

Na carta enviada pelo patriarca do Iraque, Raphael Sako também descreve o sofrimento de sua comunidade. “Quem podia deixar o Iraque já o fez. Milhares de crianças nos campos de refugiados passam fome, mas têm sobretudo sede de futuro: querem uma escola e uma casa.”

À Renascença, Catarina Bettencourt Martins diz que “não foi possível ficar indiferente a estes apelos”. “Mais uma vez eles nos pediam, por favor, para nesta quarta-feira, início de Quaresma, não nos esquecermos e estarmos unidos a eles.”

A Ajuda a Igreja que Sofre estende a todos o convite à jornada de jejum e oração pelos cristãos perseguidos no Médio Oriente, nesta iniciativa intitulada “Carregarás a cruz deles por um dia?”, convocada nos 21 países onde actua.

“Pedem a toda a AIS no mundo para dinamizar este dia de oração, em particular por estes dois países e por estes cristãos que estão a sofrer e a passar por dificuldades que nós não conseguimos imaginar”, sublinha a presidente da fundação.

Para Portugal está marcada a oração do terço na Igreja da Encarnação, em Lisboa, pelas 18h30, a que se seguirá a celebração da Missa pela mesma intenção. A AIS convida também à utilização das hashtags #fastandpray #carrythecross #AshWednesday para assinalar o dia.

Desde o início do conflito na Síria, em Março de 2011, a AIS realizou projectos de apoio às populações da Síria e do Iraque no valor de 27 milhões e 670 mil euros.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Costa
    10 fev, 2016 Cacém 20:01
    Está com Sr. Patriarca Gregorios III Laham. Aqui na Europa a "sra" Merkel só fica "chocada" e "horrorizada" quando os jihadistas da Frente al-Nusra são "bombardeados" pelos russos. Assim a NATO enviou aviões AWACS para vigiar os aviões russos. Deste modo tenta-se avisar os jihadistas dos ataques efetuados pela aviação e atenuar os efeitos dos mesmos.

Destaques V+