Tempo
|
A+ / A-

Obama foi à mesquita agradecer contributo dos muçulmanos nos EUA

04 fev, 2016 - 10:45

A mesquita “é um local onde as famílias vêm para orar e expressar o seu amor por Deus e uns pelos outros”, disse Obama, na sua primeira visita a um local de culto islâmico na América, pelo menos, desde que foi eleito.

A+ / A-

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cumpriu, na quarta-feira, a sua primeira visita a uma mesquita americana, onde aproveitou para agradecer aos muçulmanos os seus contributos para a sociedade americana.

Num discurso em que apelou à liberdade religiosa e à tolerância, Obama não esqueceu a existência de correntes fundamentalistas que, na sua opinião, “pervertam” o verdadeiro Islão. Aos presentes, contudo, Obama disse que queria deixar uma palavra que a maioria deles raramente ouvia: "Obrigado".

“Obrigado por servirem a vossa comunidade”, disse, citando vários exemplos de muçulmanos americanos que obtiveram sucesso nos ramos da medicina, da arquitectura, do desporto e não só.

O Presidente dos EUA lamentou a existência de terroristas e reconheceu a injustiça de os muçulmanos moderados serem constantemente instados a distanciar-se dos seus actos.

“Reconheço que por vezes isso possa parecer injusto”, disse Obama, recordando que ninguém pediu à comunidade branca que condenasse o homem que matou vários negros numa Igreja, no ano passado.

Num recado dirigido aos membros de outras religiões, nomeadamente aos cristãos que são a maioria no país, Obama disse que a maioria provavelmente nunca tinha sequer entrado numa mesquita mas que esta não era muito diferente das suas igrejas ou sinagogas. “É um local onde as famílias vêm para orar e expressar o seu amor por Deus e uns pelos outros”.

Embora Barack Obama já tenha visitado outras mesquitas nas suas visitas ao estrangeiro, esta foi a primeira vez que visitou um local de culto muçulmano nos EUA, pelo menos desde que assumiu a presidência. O seu antecessor, George W. Bush, já tinha visitado uma mesquita em Washington, apenas uma semana depois dos ataques do 11 de Setembro.

A visita de Obama dá-se numa altura em que os casos de intolerância religiosa anti-islâmica têm aumentado no país.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 04 fev, 2016 LISBOA 12:05
    OS AMÉRICAS ANDARAM A BOMBARDEAR O MÉDIO ORIENTE E A MATAR OS SEUS LIDERES, O QUE LEVOU A ESTAS GUERRAS E POSTERIOR INVASÃO DA EUROPA POR MULÇUMANOS!!! ESTA ATITUDE É DIZER AOS EUROPEUS!!.. AGUENTEM-SE À BRONCA QUE ESTES GAJOS (MULÇUMANOS) SÃO UNS GAJOS PORREIROS!!! LEVEM COM ELES E NÃO BUFEM!! ESTAMOS ENTREGUES AOS BICHOS!!
  • Eu
    04 fev, 2016 Lisboa 11:38
    Obrigado pelo 11 de setembro, obrigado pelos soldados americanos mortos nos países árabes, obrigado pelo armamento que compram aos Estados Unidos para depois usarem contra os militares americanos, obrigado pelo clima de terror na Europa que só favorece a economia americana, realmente os árabes estão de parabéns , os Estados Unidos árabes, perdão da América tem muito a agradecer
  • Rui Martins
    04 fev, 2016 Londres 11:32
    Nao posso deixar de aplaudir esta atitude do Sr Obama. Numa fase da Historia dos EUA, em que a coragem e medida peas accoes de guerra e sao chamados de Herois aqueles que matam em nome de nao se sabe quem ou o que, este Sr desafia uma mentalidade ferrenha presente na mente de grande parte da populacao Mundial e demonstra o que coragem realmente significa. Pena que nao o tenha feito mais cedo mas se eu fosse Americano darme - ia por satisfeito.

Destaques V+