A+ / A-

Depois da Suécia, Finlândia também anuncia deportações de migrantes

28 jan, 2016 - 18:17

É mais um país a querer expulsar todos os migrantes que não reúnam as condições para ter asilo.
A+ / A-

A Finlândia prepara-se para deportar quase 20 mil migrantes que não cumpram os requisitos para ter asilo. A medida deverá abranger 62% de todos os migrantes que entraram o ano passado na Finlândia.

A Finlândia junta-se assim à Suécia na intenção de expulsar todos os migrantes que não reúnam as condições para ter asilo. A Suécia anunciou o objectivo de deportar entre 60 e 80 mil pessoas das 163 mil que recebeu durante todo o ano passado.

Embora o número bruto seja significativo, em termos percentuais é semelhante aos números do ano passado, quando 56% foram deportados. A diferença é que em 2014 houve 3.651 pedidos e em 2015 foram 32 mil.

A ministra da Administração Interna da Finlândia diz, porém, que o número final ainda pode mudar. “De momento a nossa estimativa é de 20 mil, mas o número de pessoas que pediram asilo e que decidam voltar voluntariamente para os seus países pode alterá-la”, afirmou Paivi Nerg.

Segundo Nerg, a maioria dos pedidos de asilo em 2015 são de migrantes oriundos do Iraque e devem ser processados até ao final de Agosto.


guialiga19_20_banner
Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Alberto Sousa
    30 jan, 2016 Portugal 18:24
    Subscrevo o que escreveu o Manuel; qual é a novidade? Eu não sou refugiado mas se quero viver em qualquer outro país fora do espaço europeu só posso se me derem autorização de residência e para ma darem... é uma luta de meses e no fim até ma recusam se não cumprir todos os requisitos legais (que são muitos na maioria dos países) e mandam-me embora.
  • joka mra
    30 jan, 2016 Coimbra 18:00
    Antes era só a Hungria que era a "nazi", "fascista", agora os paises nórdicos que eram o exemplo de integração e humanidade tb são maus. Ora deixem-se de tretas, é incomportável para qualquer país que se preze ter de receber migrantes ás carradas. Vão chegar à conclusão que a Europa deve racionar a entrada sob pena de colapsar.
  • Eugénio Rodrigues
    28 jan, 2016 Tavira 22:07
    A Europa já foi o farol do mundo. Agora cede em toda a linha às trevas. Pagaremos tudo isto com língua de palmo.
  • Manuel
    28 jan, 2016 Lisboa 19:02
    Mas isso todos fazem. Expulsam os que requerem asilo e veem o seu pedido negado. Qual e a novidade? Qual é o pais que não faz isso?... Nenhum, todos fazem. Não sei o que tem de novidade, sempre foi assim em todo o lado porque é que agora tinha que ser diferente ?!