Tempo
|
Autárquicas 2021
35,35%
141Câmaras
13,82%
70Câmaras
11,36%
29Câmaras
7,96%
18Câmaras
5,67%
18Câmaras
4,1%
0Câmaras
2,59%
0Câmaras
1,54%
5Câmaras
1,16%
0Câmaras
12,30%
11Câmaras
  • Freguesias apuradas: 3055 de 3092
  • Abstenção: 45,96%
  • Votos Nulos: 1,60%
  • Votos em Branco: 2,52%

A+ / A-

José Sócrates: "Dinheiro que me permitiu viver em Paris foi dado pela minha mãe"

15 dez, 2015 - 20:27

Antigo primeiro-ministro garante, na segunda parte da entrevista à TVI, que as suspeitas do Ministério Público sobre Vale de Lobo “não têm o mínimo de fundamento”. Admite que deve dinheiro ao amigo Carlos Santos Silva, mas não sabe exactamente quanto, e admite que, se calhar, o quiseram afastar da corrida à Presidência da República.

A+ / A-

José Sócrates garante que nunca interferiu no Plano Regional de Ordenamento do Território do Algarve (Protal) para beneficiar o empreendimento de Vale do Lobo. Na segunda-parte da entrevista à TVI, transmitida esta terça-feira, o antigo primeiro-ministro conta que foi a mãe que lhe deu dinheiro para viver em Paris, que o amigo Carlos Santos Silva também lhe fez um empréstimo e admite processar o Estado português.

Sobre a sua alegada intervenção na aprovação do Protal em Conselho de Ministros, começou por afirmar que "são acusações estratosféricas” e "abracadabrantes".

Garante que a suspeita “não tem o mínimo de fundamento”, porque o “Protal não atribui direitos a ninguém. Era impossível que alguém pudesse beneficiar do Protal”. A cláusula de excepção prevista no Plano Regional de Ordenamento do Território do Algarve "não se aplicou a Vale do Lobo".

"Não tenho nada a ver com o empréstimo da Caixa”

O ex-primeiro-ministro nega qualquer intervenção para que a Caixa Geral de Depósitos (CGD) desse luz verde a um empréstimo para o empreendimento de Vale do Lobo.

Armando Vara, antigo administrador da CGD, também é arguido no processo. José Sócrates diz que o antigo ministro é seu amigo e acredita na sua inocência, mas sublinha: "Não tenho nada a ver com o empréstimo da Caixa Geral de Depósitos”.

"Não encontraram ligação minha ao dinheiro de Santos Silva"

O antigo líder socialista também fala das suspeitas de que o amigo Carlos Santos Silva tinha contas na Suíça e agia como uma espécie de testa de ferro. O empresário transferiu 23 milhões de euros para Portugal ao abrigo do Regime Excepcional de Regularização Tributária (RERT), mas José Sócrates diz que não há provas de que esse dinheiro seja seu.

“Disseram que o dinheiro era meu. Em nenhum documento vem o meu nome. Nas buscas que fizeram não encontraram qualquer documento que sustentasse a tese de que esse dinheiro era meu”, declarou. "Não encontraram ligação minha ao dinheiro de Santos Silva", reforçou.

José Sócrates garante que "não sabia que Carlos Santos Silva", de quem é amigo há 40 anos, "tinha dinheiro na Suíça", nem moveu influências para a criação de um novo RERT.

"Dinheiro que me permitiu viver em Paris foi dado pela minha mãe"

O antigo primeiro-ministro nega também ser o verdadeiro proprietário de um apartamento numa das zonas mais nobres de Paris, que está em nome do amigo Carlos Santos Silva.

Explica que viveu nessa casa emprestada quando foi tirar um mestrado, mas depois saiu por causa da realização de obras e passou a morar num outro apartamento que alugou.

“Tinha esperança em ir para o apartamento depois das obras mas, como estavam a demorar muito, aluguei outro apartamento. Como me acusam de ser proprietário se eu aluguei outro apartamento? E o procurador disse-me: ‘ você fez isso para disfarçar’. Mas eu nem sabia que estava a ser investigado. O apartamento de Paris onde vivi era alugado”, disse na entrevista à TVI.

O antigo primeiro-ministro desmente as notícias de que manteve uma vida de luxo durante o período em que viveu na capital francesa. "O dinheiro que me permitiu viver em Paris foi dado pela minha mãe", afirmou.

“A vida faustosa é ir tirar um mestrado a Paris e querer que os filhos acabem o liceu numa escola internacional. É isto a vida faustosa para o ´Correio da Manhã’. Fizeram uma campanha política com o objectivo de prejudicar o Governo anterior”, acusou.

Sócrates não sabe "exactamente" quanto dinheiro deve a Santos Silva

José Sócrates admite que, mais tarde, pediu dinheiro emprestado ao amigo Carlos Santos Silva. Revela que já pagou 250 mil euros, mas ainda não sabe quanto falta para saldar a dívida.

"Preciso de falar com ele para saber exactamente quanto lhe devo. Planeio pagar tudo o que devo a Carlos Santos Silva", afiança, sendo que os dois arguidos na "Operação Marquês" estão, actualmente, impedidos de contactar um com o outro.

O antigo líder do PS afirma que Carlos Santos Silva é o seu "melhor amigo fora da política", conhecem-se há 40 anos e passam férias juntos há 20 anos. "É uma pessoa honesta, decente, bondosa e um grande empresário".

Sócrates admite processar o Estado

Depois de ter tecido duras criticas à procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, responsabilizando-a pela forma como decorre o processo “Operação Marquês”, na segunda-parte da entrevista Sócrates considerou que o Ministério Público lhe devia pedir desculpas.

O antigo primeiro-ministro garantiu ainda que não vai deixar de pedir uma indemnização ao Estado pela prisão ilegal e pelo envolvimento do seu nome neste processo.

“Eu admito processar o Estado português, agir contra o Estado português, mas ainda não é esse o momento. Lá chegaremos, porque eu acho que tem havido uma reiterada quebra naquilo que são as obrigações de respeito pelas normas do Direito Penal por parte do Estado português. E não é só de agora, é de há muito tempo. Eu já fui vítima disto duas vezes”

"Se calhar quiseram evitar que fosse candidato a Belém"

Nesta entrevista à TVI, José Sócrates reafirma que o seu caso teve contornos e consequências para o Partido Socialista, mas também para o seu futuro na política.

"Se calhar quiseram evitar que fosse candidato a Belém" nas eleições de Janeiro, atirou Sócrates, garantindo que nunca pensou na possibilidade de avançar para a Presidência da República. Confessa que ainda não sabe em quem vai votar, mas tem uma certeza: Não vai ser em Marcelo Rebelo de Sousa.

“Gostaria que o PS tomasse uma posição. Não pode ficar fora. Ficar de fora estará a favorecer Marcelo Rebelo de Sousa”, alerta.

Considera que o novo Governo de António Costa tem toda a legitimidade política. Sobre o acordo das esquerdas vê “com agrado este novo diálogo” e mostra que PCP e Bloco de Esquerda "aprenderam a lição" de 2011, quando o seu Governo caiu após o chumbo no Parlamento do PEC4.

José Sócrates está indiciado de crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção passiva para acto ilícito no âmbito da “Operação Marquês”.

Foi libertado a 16 de Outubro passado, mas continua proibido de se ausentar de Portugal e de contactar com os outros arguidos do processo da “Operação Marquês”. A medida de coacção foi alterada para prisão domiciliária, com vigilância policial, a 4 de Setembro.

Além de Sócrates, são arguidos no processo o ex-ministro socialista Armando Vara, a filha deste, Bárbara Vara, assim como Carlos Santos Silva, empresário e amigo do ex-primeiro-ministro, Joaquim Barroca, empresário do grupo Lena, João Perna, antigo motorista do ex-líder do PS, Paulo Lalanda de Castro, do grupo Octapharma, Inês do Rosário (mulher de Carlos Santos Silva), o advogado Gonçalo Trindade Ferreira e os empresários Diogo Gaspar Ferreira e Rui Mão de Ferro.

[notícia actualizada às 03h14]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • 20 dez, 2015 17:12
    Deveria ter vergonha, com esta idade ainda chateia a mãe...que estudasses.
  • 18 dez, 2015 07:45
    Estamos ao nivel da Italia porque também já temos o nosso Pinóquio
  • Vasco
    16 dez, 2015 Santarém 21:30
    Quem dá cobertura a um tipo destes ainda é mais burro do que ele, uma coisa que não estou de facto de acordo é com a lentidão da justiça, mas esta é a justiça que antes o senhor Sócrates apreciava e defendia bem como no geral toda a classe política, só que à força de dar muito nas vistas pela diferença de tratamento entre classes, começaram também a caçar tubarões que antes se julgavam intocáveis e por incrível que pareça até existe agora muito "boa" gentinha a achar tudo isto muito estranho.
  • Burro sou Eu
    16 dez, 2015 Burril 17:24
    O meu é o meu avô que mo dá (sou um sortudo)!
  • Monteiro
    16 dez, 2015 Lisboa 12:01
    O homem é um santo..... hahahahahaha..... Claro que isto mais parece uma tragedia comica. E obviamente ele vai ser safo como é normal acontecer em Portugal.
  • Anónimo
    16 dez, 2015 Lisboa 11:30
    como é que a TVI deu tempo de antena a este PULHA e ainda por cima uma entrevista preparada Sr Sócrates tenha vergonha de querer fazer de todos nós PARVOS
  • A. Aveiro
    16 dez, 2015 Aveiro 10:59
    É um mentiroso compulsivo. A afirmação de afirmar que desmente tudo aquilo de que possa vir a ser acusado, indica bem o tipo de individuo que é. Este senhor nunca devia ter sido preso, mas sim, internado numa estabelecimento de saúde mental. Quando se atinge a prepotência da superioridade, é sinal de doença mental. Os indivíduos normais, sabem quando estão no limite do razoável, porque a partir dai é a loucura.
  • 0liveira
    16 dez, 2015 sintra 10:49
    O homem parece o Calimero. Ninguém gosta dele, todos o querem tramar. Com aquela carinha de inocente, é impossível ser culpado. Sem vergonha.
  • Fernando dos Santos
    16 dez, 2015 Aveiro 10:27
    O autor deste artigo refere que Sócrates garantiu processar ...(admito processar). No português de agora é a mesma coisa. Assim se difundem as notícias... As entrevistadas na tvi 24 disseram não existirem pessoas que façam empréstimos como o amigo de Sócrates. Já pessoas que ponham 23 milhões na conta do amigo sem ficarem com qualquer meio de acesso a eles, isso já é normalíssimo. Vê-se a cada esquina. Por acaso alguma delas tem amigos, não direi de 40 (porque não têm idade para isso), de há 15 anos? Algum deles é milionário? Dos muitos milhões que Santos Silva tem, quanto representa 1 milhão? Se calhar é o mesmo daqueles 500 euros que o amigo ou amiga emprestou a qualquer delas. Aqueles que nada têm, ao vê-las tão arranjadinhas, pintadinhas e provavelmente cheirozinhas, têm o direito de dizer que vivem faustosamente? Foi uma má escolha a da TVI ao convidá-las. Para o ataque, conhecem tudo, para a defesa, não respondem porque não conhecem o processo!!! Quanta bílis, inveja, ignorância e maldade se tem lido sobre, ou a par deste processo. Isso sim devia envergonhar os portugueses. Quanto ao Sócrates, se culpado, que seja punido nos termos da Lei.
  • artur carvalho
    16 dez, 2015 Lisboa 10:25
    Este Sócrates é um mentiroso compulsivo e um narcisista...Um ser desprezível enquanto político e tem as mãos sujas e não deve fazer dos portugueses tolos ou mentecaptos. Lamentavelmente a TVI dá-lhe tempo para o circo mediático em que quer transformar o seu processo. Deixemos a justiça seguir o seu caminho normal, sem pressas mas com segurança, e, no final, cá estaremos para ver a sua inocência ou não, do ponto de vista legal ou jurídico. Do ponto de vista ético é um personagem repulsivo, narcisista, vaidoso, arrogante e sem ética e muito menos a ética republicana típica do partido onde se encontra e de quem procura protecção. Acho que o PS faz bem em demarcar-se deste ser que é um mitómano refinado.Uma vergonha para o país este Sócrates.

Destaques V+