Tempo
|
A+ / A-

Julgamento Vatileaks II começa sob protesto dos jornalistas acusados

24 nov, 2015 - 13:54 • Aura Miguel , em Roma

O advogado do padre acusado de roubar e divulgar documentos confidenciais pediu mais tempo para preparar a defesa, algo que foi negado pelo tribunal.

A+ / A-

Começou esta terça-feira o julgamento que já é conhecido como Vatileaks II. Os cinco acusados de roubar e divulgar documentos secretos compareceram em tribunal, apesar de se ter especulado que os jornalistas Gianluigi Nuzzi e Emiliano Fittipaldi não o fizessem.

A sessão desta manhã começou com dois pedidos de excepção. Um por parte do advogado oficioso do padre Lucio Angel Vallejo Balda, que continua detido, pedindo para adiar a data do processo para ter mais tempo na preparação da defesa e outro, pelo advogado do jornalista Fittipaldi, invocando a nulidade da acusação baseada na falta de dados para a incriminação. Ambos os pedidos foram recusados pelo tribunal.

Fittipaldi também leu e assinou uma declaração protestando a sua presença perante uma autoridade judicial diferente da italiana e recordando que em Itália a liberdade de informação está consagrada na Constituição, na Convenção Europeia dos Direitos Humanos e na Declaração Universal dos Direitos do Homem.

Os magistrados recordaram que o julgamento não está a avaliar a publicação de livros, mas o modo ilícito como os documentos foram obtidos pelos jornalistas.

No intervalo da sessão, Nuzzi – que, em 2012, já tinha publicado documentos roubados ao Papa Bento XVI – afirmou “não somos mártires, mas jornalistas”, classificando de “absurda e kafkiana” esta acção judicial.

O jornalista diz estar tranquilo, por já ter feito o que fez noutras ocasiões.

Para além de Nuzzi, Fittipaldi e Vallejo, estão a ser julgados Nicola Maio, secretário pessoal de Vallejo e Francesca Immacolata Chaouqui, uma especialista em relações públicas que trabalhou juntamente com Vallejo num órgão criado pelo Papa Francisco para coordenar a reforma das instituições financeiras da Santa Sé.

O tribunal do Vaticano já agendou as próximas sessões. Os interrogatórios terão início a partir da próxima segunda-feira, às 9h00 e decorrem ao longo de toda a semana.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+