Tempo
|
A+ / A-

Pelo menos 27 mortos em ataque da Al-Qaeda a hotel no Mali

20 nov, 2015 - 15:55

Segundo as autoridades malianas já não há reféns no interior do hotel Radisson em Bamako, capital do Mali. Dois dos terroristas terão sido mortos pelas forças de segurança, mas outros dois poderão estar a monte.

A+ / A-
Pelo menos 27 mortos em ataque da Al-Qaeda a hotel no Mali. Já não há reféns
Pelo menos 27 mortos em ataque da Al-Qaeda a hotel no Mali. Já não há reféns

Pelo menos 27 pessoas terão morrido em consequência do ataque a um hotel na capital do Mali, por parte de terroristas islâmicos, esta sexta-feira de manhã, disse um representante da ONU à Reuters.

Uma fonte do governo maliano disse aos jornalistas que já não há reféns no hotel da capital do Mali. Chegou-se a falar de cerca de cem reféns nas mãos dos jihadistas.

Não há detalhes sobre a identidade ou nacionalidade das vítimas, mas pelo menos um está confirmado como sendo belga.

Segundo o Ministério dos Negócios Estrangeiros, não havia portugueses no hotel.

A agência France-Presse diz que pelo menos dois terroristas foram mortos durante a operação das forças de segurança, mas há indicação que outros dois poderão ainda estar dentro do estabelecimento.

Os militares malianos tiveram a assistência de forças especiais americanas e francesas no local e há também capacetes azuis envolvidos, segundo a ONU. Foram estes militares que contaram pelo menos 27 cadáveres apenas na cave do hotel e no segundo andar, disse fonte da organização à Reuters. É por isso possível que o número oficial de mortos ainda aumente.

Al-Qaeda reivindica

O ataque ao hotel já foi reivindicado pelo grupo Al-Mourabitoun, que opera no país há cerca de dois anos e está ligado à Al-Qaeda.

Trata-se de um grupo radical islâmico, composto sobretudo por árabes tuaregues que combate de forma violenta a presença de forças internacionais no Mali.

O Mali tem sido palco de uma insurreição jihadista há alguns anos. Os militantes chegaram a ocupar várias cidades a Norte do país e só uma intervenção francesa, para auxiliar as forças do Governo, permitiu recuperar terreno.

Este é o segundo ataque a um hotel no Mali em poucos meses. Em Agosto, um grupo terrorista fez alguns mortos no ataque a outro hotel. Morreram 17 pessoas, incluindo alguns reféns e soldados.

[Actualizado às 16h23]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Costa
    20 nov, 2015 Cacém 16:58
    "..Começámos a nossa luta contra a Al-Qaeda em 2001 e demorámos vários anos até que pudéssemos eliminar Osama bin Laden e os seus grandes líderes, neutralizando-os como força efetiva..." nota-se a eficiência dos EUA e o com o Estado Islâmico é a mesma coisa. Como se pode combater o "terrorismo" que não passa de uma ARMA? Arma essa que apenas COMPLEMENTA as "infraestruturas" que "grandes aliados e amigos" dos EUA estão a construir na Europa? Vemos, Ouvimos e Lemos e continuamos a ignorar........
  • FDP
    20 nov, 2015 Smiguel 16:19
    COVARDES! Esta praga está em todo o lado.

Destaques V+