Tempo
|
A+ / A-

"Barbaridade em nome de Deus é uma blasfémia", diz Papa sobre ataques em Paris

15 nov, 2015 - 11:16 • Filipe d'Avillez

Na oração do Ângelus, deste domingo, Francisco sublinhou a sua proximidade com as famílias de todas as vítimas dos atentados de Paris e confiou a Maria “a sua querida nação francesa”.

A+ / A-
"Barbaridade em nome de Deus é uma blasfémia", diz Papa sobre ataques em Paris
"Barbaridade em nome de Deus é uma blasfémia", diz Papa sobre ataques em Paris

O Papa Francisco recordou este domingo os atentados de Paris que, na noite de sexta-feira, fizeram perto de 130 mortos.

Falando após a oração do Ângelus, Francisco disse que se sente particularmente próximo das famílias das vítimas.

“Gostaria de exprimir a minha dor pelos atentados terroristas que na noite de sexta-feira ensanguentaram a França, causando numerosas vítimas. Ao presidente da República Francesa e a todos os cidadãos, ofereço as minha fraternas condolências. Estou próximo em particular das famílias daqueles que perderam a vida e dos feridos.”

“Tamanha barbaridade deixa-nos desanimados e perguntamos como pode o coração do homem idealizar e realizar eventos tão horríveis, que perturbaram não só a França mas o mundo inteiro.”

“Diante de tais actos, não podemos deixar de condenar o inqualificável afronto à dignidade da pessoa humana”, disse. “Quero reafirmar com vigor que a estrada da violência e do ódio não resolve os problemas da humanidade e que utilizar o nome de Deus para justificar essa estrada é uma blasfémia!”

O Papa pediu orações por toda esta situação e convidou os presentes na Praça de São Pedro a confiarem a França a Maria. “Convido-vos a unirem-se à minha oração: confiemos à misericórdia de Deus as vítimas inocentes desta tragédia. Que a Virgem Maria, mãe de misericórdia, suscite nos corações de todos pensamentos de sabedoria e propósitos de paz. A ela pedimos que proteja e cuide da sua querida nação francesa, a filha mais velha da Igreja, da Europa e do mundo inteiro.”

Ditas estas palavras, e antes de prosseguir, o Papa rezou uma Avé Maria com a multidão de fiéis presentes em Roma.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • António Costa
    15 nov, 2015 Cacém 18:14
    "... a estrada da violência e do ódio não resolve os problemas da humanidade..." mas há pessoas que se estão nas tintas para a Humanidade, apenas pretendem manter os privilégios respetivos. Espalhando o Medo e o Terror. Mas mais do que isso precisam de educar o Outro no Medo e no Terror. Submissão, sem discussão, sem lógica, para que uns Poucos "engordem" como porcos, com a miséria de Todos.

Destaques V+