Tempo
|
A+ / A-

Estado Islâmico liberta mais 37 cristãos de Khabour

09 nov, 2015 - 12:17 • Filipe d'Avillez

Os libertados são na sua maioria idosos. Entre eles encontra-se a mãe de um cristão que foi degolado pelos terroristas há semanas, que só terá sabido da morte do filho agora que foi libertada.

A+ / A-

O autoproclamado Estado Islâmico libertou 37 cristãos de um grupo de mais de 200 que foram raptados em Fevereiro, da região de Khabour, no Iraque.

A libertação foi anunciada por várias organizações, incluindo o grupo A Demand for Action (ADFA), com sede na Suécia, onde existe uma grande comunidade de assírios, a etnia a que pertencem muitos dos cristãos originários daquela região.

As negociações foram conduzidas pela Igreja Assíria do Oriente, uma igreja ortodoxa a que pertencem muitos dos cristãos que foram raptados. Não há indicação sobre se foi pago um resgate, embora o Observatório Sírio dos Direitos Humanos indique que foi pago um valor substancial.

Os cristãos libertados são na sua maioria idosos, tanto homens como mulheres. Segundo o ADFA entre as pessoas libertadas encontra-se a mãe de um cristão que foi degolado pelos jihadistas há semanas, e que só terá sabido da morte do seu filho agora que foi libertada.

Em declarações ao site “Christian Today”, uma porta-voz da ADFA manifestou a alegria da organização, mas também a frustração de quem continua a ser perseguido na sua própria terra. “É pena que continuemos abandonados à nossa sorte e que os nossos pedidos de ajuda tenham sido ignorados por tantos líderes mundiais desde a invasão de Mosul, que levou a que tantos dos nossos irmãos se tornassem mendigos no seu próprio país. Alguma vez se sentiu um estranho na sua terra? É assim que nós nos sentimos. Os nossos filhos merecem um futuro e não deve ser debaixo do Estado Islâmico e da sua brutalidade”, refere Diana Yaqco.

Desde o rapto dos cerca de 220 cristãos em Fevereiro de 2015 vários pequenos grupos de cristãos foram libertados e outros foram executados. Acredita-se que ainda haja cerca de 150 reféns, mantidos pelo Estado Islâmico.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • LENE MARIA
    12 nov, 2015 FORTALEZA 16:14
    O ISIS SÓ SABE QUEIMAR, DECAPITAR, ESTUPRAR..ISSO É ESTRANHO HOUVE ALGUMA TROCA
  • António Costa
    10 nov, 2015 Cacém 14:28
    Evidentemente devem ter sido pagos elevados resgates. Os idosos são "não combatentes" e são libertados. As mulheres são violadas e vendidas como escravas. Os homens são executados. As crianças muito pequenas são educadas segundo o Islão.

Destaques V+